Atletas como Wanderlei Silva e Mirko Cro Cop podem deixar o torneio em caso de derrota

O UFC é o ponto máximo da carreira de qualquer lutador de MMA. A franquia acabou com a concorrência nos últimos anos e virou a principal meta de todo representante da modalidade. Mas a permanência na competição também pode se tornar um problema. Sem contar com um rival de prestígio semelhante, o Ultimate Fighting Championship monopoliza o mercado das lutas e chega a ameaçar a carreira de algumas lendas do esporte.

Ao contrário de modalidades como futebol e basquete, o atleta do UFC não pode simplesmente mudar de clube quando é demitido. Ele até pode se transferir para uma franquia de menor expressão. Porém, não terá a mesma visibilidade e nem receberá salários e patrocínios semelhantes.

Veja também: Brock Lesnar e Overeem farão duelo de superpesados no UFC

O curioso é que a permanência do lutador no UFC é definida de maneira bastante subjetiva: o presidente Dana White e o formador de lutas Joe Silva escolhem aqueles que continuarão na franquia baseados em suas próprias opiniões em relação ao desempenho dos atletas. Ou seja, não há um critério claro para definir que será demitido ou não.

Normalmente, o lutador que sofre três derrotas consecutivas acaba liberado pelos dirigentes. Cada atleta tem contrato com um número de lutas que varia de uma a cinco. Mas o acordo pode ser cancelado a qualquer hora mediante o pagamento de uma multa rescisória.

Confira ainda: Minotauro personifica Rocky Balboa brasileiro com redenção no UFC

Ainda existem algumas exceções que continuam ligadas ao UFC mesmo com três revezes seguidos. Isso acontece devido a interesses financeiros da franquia. Um exemplo é o de Yoshihiro Akiyama, que continuará no torneio após a trinca de derrotas devido aos investimentos da empresa no Japão.

O iG separou abaixou alguns exemplos de atletas, novatos e veteranos, que estão em baixa e correm o risco de ser cortados do UFC. Confira:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.