Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

Dana White volta a adiar superluta entre GSP e Anderson Silva

Presidente do UFC não descarta subir o canadense de categoria para o badalado confronto entre os invictos

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Anderson Silva tem o hábito de responder que o adversário ideal para derrotá-lo seria seu clone quando lhe perguntam quem ele gostaria de enfrentar no UFC na categoria médio (até 84 quilos). Após a vitória humilhante sobre o japonês Yushin Okami com nocaute no segundo round, o campeão do maior eventos de MMA do mundo manteve o discurso. Na coletiva de imprensa, especulou-se revanches contra Chael Sonnen e Dan Henderson, mas Dana White, presidente da organização, deu pistas de quem poderá ser um dos futuros oponentes do Spider.

O todo-poderoso do UFC disse novamente que estuda a possibilidade do aguardado confronto entre Anderson e o também campeão meio-médio (77), o canadense Georges St-Pierre. A exemplo do brasileiro, invicto desde 2006, GSP não perde há quatro anos e desde 2007 vem fazendo “uma limpa” na categoria. Como ambos não têm adversários à altura – pelo menos na teoria -, a ideia de promover o duelo já passa pela cabeça de Dana White.

“É uma possibilidade, sim. Mas os dois ainda têm caminhos e oponentes a enfrentar nas duas categorias. Eles têm uns serviços a fazer. Lá na frente, quem sabe?”, declarou o presidente do UFC.

É bom possível que Anderson Silva seja uma das atrações para a edição de fevereiro no Japão. Nos últimos dois anos, o evento tem cruzado continentes. Sua força sempre foi os Estados Unidos, mas desde o UFC 99, na Alemanha, que a história tem mudado. Dana White quer romper barreiras, e já levou o UFC para Austrália, Dubai e agora no Brasil. Anderson fez fama no Japão na época do Pride e nada como ser garoto-propaganda desta nova penetração no mercado asiático – houve edições no Japão no fim dos anos 90.

Enquanto isso, no entanto, o Spider pensa em descansar e evitar falar em seus futuros adversários. Na coletiva de imprensa, o campeão dos médios parecia mais feliz com a vitória do amigo Rodrigo Minotauro sobre Brendan Schaub do que o feito que lhe rendeu a 15ª vitória consecutiva na carreira – recorde na história do UFC.

“Eu preciso confessar. Eu chorei muito com a vitória dele. Rodrigo é um ídolo, tenho orgulho de fazer parte da equipe dele. Se hoje estou aqui, devo tudo a ele. Fiquei muito emocionado, tenho o maior orgulho de fazer parte do Team Nogueira”, revelou Anderson, que durante uma fase da carreira pensou em abandonar o MMA e foi convencido por Minotauro a treinar em sua equipe. 

Leia tudo sobre: ufcufc rioanderson silvadana white

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG