Combates tem ainda os nocautes dos brasileiros Erick Silva e Thiago Tavares. Toquinho tem outro 'apagão mental'

Aos gritos de “faca na caveira”, o policial do Bope Paulo Thiago enfrentou o norte-americano David Mitchell na melhor luta do card preliminar do UFC Rio, realizado na noite deste sábado, na HSBC Arena, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Superior ao adversário nos três rounds, o lutador brasileiro venceu com sobras, empurrado pela torcida, que, das arquibancadas, ditava o ritmo do combate ao som de “Tropa de Elite”, trilha sonora do lutador em sua caminhada ao octógono.

O Brasileiro dominou o centro do ringue, caminhou sempre buscando a luta em pé e foi superior também nas quedas. Em nenhum momento foi ameaçado pelo seu oponente. Nos segundos finais, por pouco não finalizou o combate com um mata-leão. Mas o golpe não encaixou como deveria. Emocionado, o lutador comemorou a volta por cima no UFC.

“Foi uma vitória importante, pois eu estava em um momento difícil na organização e agora posso seguir meu trabalho aqui no UFC com calma”, disse o policial, que vinha de derrota no evento.

Na luta mais inusitada do card preliminar, Rousimar “Toquinho” Palhares protagonizou outro “apagão mental”. Contra Nate Marquardt, há um ano, no UFC Fight Night 22, o brasileiro se distraiu falando com o árbitro e permitiu que o oponente o nocauteasse, quando a luta esta sob seu absoluto controle. Diante de Dan Miller, esta noite, o atleta da BTT estava nocauteando o adversário, mas achou que Herd Dean havia interrompido o combate por nocaute técnico e saiu comemorando, pulando na grade de braços abertos - no segundo round.

O árbitro foi em sua direção o advertiu. Na volta, quase foi nocauteado por Miller, mas se recuperou a tempo e dominou o restante do assalto. O adversário, sentindo os golpes de “Toquinho” e demonstrando muito cansaço, era impiedosamente castigado pelo brasileiro. Vitória incontestável do atleta de Murilo Bustamante.

“Achei que ele (Dean) tinha gritado, então parei”, justificou “Toquinho”.

Na primeira luta, o canadense Yves Jabouin o norte-americano Ian Liveland por decisão dividida dos árbitros. O combate, valendo pela categoria galo (até 61 quilos) custou a Jabouin sua nona derrota na carreira. Foram três rounds com um início de bastante trocação, mas que acabou num jogo bem variado entre os atletas. O primeiro juiz deu 30 a 27 para o norte-americano, quanto os outros assinalaram 29 a 28 para o canadense.

O segundo combate já sacudiu as arquibancadas. Era a presença dos primeiros brasileiros no octógono. Os pesos pena (até 66 quilos) Felipe Arantes e Yuri Marajó Alcântara protagonizaram um disputado duelo no qual ambos demonstraram estar em dia com os mais variados estilos. Muita luta em pé e um bom jogo de chão foram a tônica do combate. No fim, após três rounds, por decisão unânime dos juízes, o paraense Yuri foi apontado o vencedor.

A terceira luta marcou novamente outro encontro entre atletas brasileiros. E marcou também o primeiro nocaute da noite. Desta vez, na categoria meio-médio (77 quilos) Erick Silva derrotou o compatriota Luis “Beição” Ramos em apenas 40 segundos de luta. O lutador da Team Nogueira acertou um direto que levou o adversário ao chão. Erick seguiu desferindo golpes no rosto do aponente, que já não reagia, levando o árbitro Herd Dean interromper o combate.

“Eu treinei muito este soco. Agradeço a minha equipe. Agradeço ao Rafael Feijão e a toda minha equipe Team Nigueira. Sempre tive o sonho de lutar no UFC e no Brasil. Hoje é um dia muito importante para mim”, vibrou Erick Silva.

Como era um evento no Brasil e recheados de lutadores da casa, o quarto embate contou também com a presença de mais dois brasileiros. Johnny Eduardo e Raphael Assunção se enfrentaram pela divisão galo. Foram três rounds de um jogo muito estudado, porém de pouca ação. No fim, as primeiras vaias da noite. Os árbitros deram a vitória a Assunção por decisão unânime.

O último combate teve o brasileiro Thiago Tavares contra Spencer Fisher pela categoria leve (66). O encerramento do card preliminar não poderia ter sido melhor. O promissor atleta brasileiro venceu por nocaute aos dois minutos e nove segundos do primeiro round. O arquibancada explodiu em festa, fazendo lembrar um jogo de futebol.

Thiago comemorou na grade, com a bandeira brasileira nas mãos. Foi a vigésima vitória da sua carreira, que agora soma quatro derrotas e um empate.

Veja todos os resultados do UFC Rio:

Card principal
Anderson Silva (BRA) venceu Yushin Okami (JAP) por nocaute no 2º round
Mauricio Shogun (BRA) venceu Forrest Griffin (EUA) por nocaute no 1º round
Edson Barboza (BRA) venceu Ross Pearson (ING) por pontos
Rodrigo Minotauro (BRA) venceu Brendan Schaub (EUA) por nocaute no 1º round
Stanislav Nedkov (BUL) venceu Luiz “Banha” Cane (BRA) por nocaute no 1º round

Card preliminar
Thiago Tavares (BRA) venceu Spencer Fisher (EUA) por nocaute técnico no 2º round
Rousimar ‘Toquinho’ Palhares (BRA) venceu Dan Miller (EUA) por pontos
Paulo Thiago (BRA) venceu David Mitchell (EUA) por pontos
Raphael Assunção (BRA) venceu Johnny Eduardo (BRA) por pontos
Erick Silva (BRA) venceu Luis Ramos (BRA) por nocaute no 1º round
Iuri Marajó (BRA) venceu Felipe Sertanejo (BRA) por pontos
Yves Jabouin (CAN) venceu Ian Loveland (EUA) por pontos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.