Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

Antiespertinhos, musa Kyra Gracie negocia com o Strikeforce

Beldade do jiu-jitsu também falou sobre a vida pessoal e sobre a maneira que trata os homens mais abusados nas baladas

Rodrigo Farah, iG São Paulo |

A principal musa das artes marciais no Brasil está perto de realizar sua estreia no MMA. Conhecida pela beleza, vaidade e títulos nos tatames, a carioca Kyra Gracie está negociando um contrato com o Strikeforce e pode ser a grande novidade da franquia norte-americana nos próximos meses.

Kyra Gracie mostra no corpo os benefícios do jiu-jitsu

Em entrevista exclusiva ao iG, a pentacampeã mundial de jiu-jistu admitiu que foi procurada por dirigentes da entidade e que está preparada para o vale-tudo: “Se já tivesse um contrato, estaria pronta para lutar hoje”, revelou a atleta de 26 anos.

Kyra Gracie também falou a respeito do status de musa das lutas e sobre a indicação para a eleição da mulher mais sexy do mundo, pela revista VIP. A carioca ainda falou a respeito da vida pessoal e como faz para cuidar dos “espertinhos” que tentam agarrá-la na balada.

Confira os principais trechos da entrevista:

iG: Como estão os treinamentos? Qual é o principal campeonato do restante da temporada?
Kyra Gracie:
Em setembro vou disputar o Abu Dhabi*, uma competição criada por um xeque árabe amante das lutas, que junta várias modalidades em uma só. É a principal competição do tipo em relação a prêmios e já venci duas vezes [2005 e 2007]. Este ano vou tentar ganhar a terceira.

*Nota da redação: O Abu Dhabi Combat Club (ADCC) é o principal torneio de submission do mundo, unindo atletas de esportes como jiu-jitsu, judô e wrestling. Nele, os atletas competem sem quimono em busca das quedas e da finalização – socos e chutes são proibidos.

iG: E em relação ao MMA? Quando você planeja mudar de modalidade?
Kyra Gracie:
Eu já treino um pouco de boxe e pratico judô. É algo bem viável, sim. Já rolaram algumas propostas e sei que o MMA está crescendo cada vez mais. Para você ter uma ideia, minhas amigas “patricinhas” que odiavam lutas estão toda hora me procurando para saber mais de MMA, querendo ir assistir às lutas aqui no Rio... Fiquei muito surpresa com isso tudo, mas é bom. Não para de crescer.

iG: As propostas que você teve foram do Strikeforce? De quem mais?
Kyra Gracie:
Eles [do Strikeforce] me procuraram sim, já me convidaram. No Japão também rolou uma proposta.

iG: Mas ainda está negociando com eles? É algo que pode ser anunciado em breve?
Kyra Gracie:
(risos) Estamos negociando, sim. Estou acertando algumas coisas com eles [Strikeforce]. Digamos que, se já tivesse um contrato, estaria pronta para lutar hoje.

Selmy Yassuda/iG
Atleta tenta romper barreiras mantendo o lado feminino nas lutas

iG: Como você encarou a indicação da revista VIP para eleição da mulher mais sexy do mundo? Foi algo que te surpreendeu?
Kyra Gracie:
Na verdade, eu nem sabia que estava concorrendo. Me falaram no Twitter e fui ver no site. Na hora pensei: “Caramba”! É algo que toda mulher gostaria de participar, então fiquei muito feliz.

iG: Você acha que está rompendo algumas barreiras do esporte, mostrando que as mulheres podem ser ‘fortes’ e vaidosas ao mesmo tempo?
Kyra Gracie
: É exatamente isso o que eu quero provar. Quero mostrar que as mulheres podem fazer jiu-jitsu, qualquer arte-marcial, e continuar feminina. Sempre pinto a unha de rosa e faço tudo o que uma mulher normal faz. Quando as pessoas pensam em uma mulher lutadora, já pensam em alguém máscula e fortona. Quero quebrar essa imagem. E o fato de ter sido indicada na eleição só ajuda. Fiquei muito contente.

iG: Você tem um passado de relacionamentos com lutadores, como o Leonardo Leite, do judô. Para ser seu namorado, o cara é obrigado a ser lutador?
Kyra Gracie:
(risos) Não, não precisa ser lutador. No momento, estou solteira. Mas é que ser lutador acaba ajudando, pois ele consegue entender minha rotina. Sabe que não posso sair toda hora, que fico de dieta, que preciso ficar em casa... Pensando bem, nunca namorei com ninguém que não lutasse. Mas não é uma obrigação (risos).

Selmy Yassuda/iG
Atleta tenta romper barreiras mantendo o lado feminino nas lutas

iG: Já recebeu algum tipo de cantada que tenha luta como contexto?
Kyra Gracie:
Não. Os que me conhecem ficam com medo e não falam nada. Ficam parados. Acho que é porque sou faixa preta e tal... Mas também tem os espertinhos...

iG: Como assim?
Kyra Gracie:
É que aqui no Rio de Janeiro o pessoal tem o costume de vir e te agarrar à força para falar com você. Tem uma defesa pessoal que uso e ninguém consegue me segurar. É uma técnica bem simples. Já passei para minhas amigas também. Mas às vezes eu passo na frente e o grupo fica atrás e o pessoal se divide.

iG: Quem são seus ídolos no esporte? E qual é o lutador mais atraente em sua opinião?
Kyra Gracie:
Tenho sorte de ter meus ídolos dentro da própria família. O principal é o Renzo. Fora da família Gracie tem vários que eu admiro, como o Minotauro, o Anderson Silva, o Flávio Canto... Agora, o mais atraente? (risos e pausa) Hum, essa é difícil, vou ter que te responder depois...

Leia tudo sobre: kyra graciestrikeforcemmaufc

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG