Tamanho do texto

Após perder o cinturão dos leves, lutador americano pode mudar de categoria para desafiar Aldo

Frank Edgar (à dir.) perdeu o cinturão dos leves para Ben Henderson em fevereiro
UFC
Frank Edgar (à dir.) perdeu o cinturão dos leves para Ben Henderson em fevereiro
Presente no lançamento da parceria entre o UFC e o Instituto Reação , liderado pelo ex-judoca Flávio Canto, o campeão dos pesos penas da organização, José Aldo, comentou a possibilidade de enfrentar o norte-americano Frank Edgar. Após perder o cinturão dos pesos leves para Ben Henderson, Edgar começou a ser envolvido em rumores de que poderia baixar de categoria para enfrentar o brasileiro.

Leia mais: José Aldo corneta Ronaldinho Gaúcho e pede Adriano no Flamengo

Para José Aldo, a luta seria uma das mais esperadas pelos fãs e ele torce para que Edgar confirme a mudança de categorias. "Primeiro ele tem que confirmar se vai mudar mesmo de categoria, mas é uma luta que pretendo fazer. Os fãs querem ver e espero que tenha a chance de enfrentá-lo. É um grande adversário, vamos ver se tudo funciona para que a luta aconteça", declarou o campeão dos pesos pena.

Em entrevista ao iG há duas semanas, o técnico de José Aldo, Dedé Pederneiras, avaliou que o brasileiro teria vantagem sobre o norte-americano na velocidade.

“O Frankie perderia uma de suas principais características, que é a velocidade”, destacou o treinador. “O Aldo demonstrou que tem um arsenal de golpes e levaria vantagem em minha opinião. Mas vamos aguardar e ver quem será o próximo adversário. Ainda não pensamos em ninguém”, concluiu.

Leia também: Técnico de Aldo elogia Edgar, mas não crê em superluta pelo cinturão

Sobre a possibilidade de lutar no UFC novamente no Brasil, em junho, Aldo acha que por dois cinturões já estarem em jogo, sua luta deve ser usada em outro evento. Além da final do reality show 'The Ultimate Fighter', o card terá a disputa entre Anderson Silva e Chael Sonnen.

"Eu queria, mas tendo duas lutas pelo cinturão, acho que vai ser difícil colocarem mais uma. Lutar em casa é sempre bom", disse Aldo, que comentou o fato de ter defendido três vezes o cinturão e ter se tornado um dos lutadores mais visados.

"Tem esse estímulo maior de ser o cara que os outros querem derrubar. Sempre falo que tenho que fazer um estudo em cima do estudo dos próximos oponentes. Vou seguir treinando, esperando definirem meu próximo adversário para estar preparado", encerrou Aldo.