Advogados solicitaram que o caso de doping do brasileiro não fosse analisado na reunião da entidade no dia 23 de março

Anderson Silva e Nick Diaz
Getty Images
Anderson Silva e Nick Diaz

A Comissão Atlética de Nevada acatou o pedido dos advogados de Anderson Silva e não incluiu a audiência com o lutador brasileiro, flagrado em dois exames antidoping, na próxima reunião da entidade, em 23 de março, segundo programação divulgada nesta quinta-feira. Ao site MMA Weekly, Bob Bennett, diretor-executivo do órgão, afirmou que tanto Spider quanto o americano Nick Diaz, seu adversário no UFC 183 e também com teste positivo por uso de substância proibidas, devem ser ouvidos na audiência de abril.

Leia também: Anderson Silva diz que não vai desistir de lutar. "Abandonar não resolve nada"

Com o adiamento, Silva ganha tempo para apresentar sua defesa. O ex-campeão dos médios do UFC não compareceu à audiência da Comissão de Nevada em 17 de fevereiro e foi suspenso das lutas temporariamente , assim como Díaz. Ele está no Brasil e inclusive retomou a rotina de treinamentos. Nas poucas vezes em que se manifestou sobre o caso, o lutador negou o uso de doping .

Veja: Lutadoras do UFC também brilham fora do octógono. Confira fotos das mais belas

Dois exames apontaram o uso de substâncias proibidas por parte de Anderson Silva. O primeiro, realizado em 9 de janeiro , durante a preparação para o UFC 183, em Las Vegas, deu positivo para os esteroides anabolizantes drostanolona e androsterona. O segundo , coletado após o combate com Nick Díaz - que marcou a volta de Spider ao UFC após um ano se recuperando de uma fratura na perna esquerda -, acusou novamente drostanolona, além de temazepam e oxazepam, usados como sedativos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.