Brasileiro já tinha sido flagrado em teste feito no dia 9 de janeiro, um mês antes da luta contra Nick Diaz. A Comissão Atlética de Nevada ainda não confirmou

O pesadelo para Anderson Silva parece ter piorado. Após ser flagrado em um exame surpresa realizado no dia 9 de janeiro, o brasileiro caiu novamente no antidoping em teste realizado depois da luta contra o americano Nick Diaz, em 31 de janeiro. O exame ainda não foi revelado pela Comissão Atlética do Estado de Nevada. As informações foram divulgadas pelo site "MMA Junkie".

Para Georges St-Pierre, doping de Anderson Silva é "apenas a ponta do iceberg"



O primeiro teste que flagrou as substâncias proibidas foi feito no dia 9 de janeiro, quase um mês antes da luta. Segundo comunicado do UFC na época, foi encontrada a substância Drostanolona, um esteroide anabólico que serve pra reforçar a rigidez dos músculos, no organismo do brasileiro, que ainda pode solicitar uma contraprova. Mais tarde, também foi divulgado a presença da substância Androsterona.

Leia mais:  Anderson Silva é flagrado em teste antidoping por uso de anabolizante

Já em um segundo exame, realizado em 19 de janeiro, o resultado do exame de sangue não apontou substâncias proibidas no organismo do brasileiro.

Leia também:  Segundo antidoping surpresa feito em Anderson Silva antes de luta dá negativo

O lutador ainda não se pronunciou sobre o assunto. Ele deve ser julgado no próximo dia 17 e pode ser suspenso pelo UFC por um período que varia de nove meses a dois anos.O resultado da luta de Anderson contra Nick Diaz deve se tornar um no-contest (sem resultado).   

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.