Campeão dos médios não acha justo o uso do TRT pelo brasileiro e fica feliz pela luta ser realizada em Las Vegas

Vitor Belfort vibra com vitória em Goiânia
Alexandre Loureiro/ Inovafoto
Vitor Belfort vibra com vitória em Goiânia

Antes mesmo do anúncio da data e local da luta entre Chris Weidman e Vitor Belfort, pelo cinturão dos médios do UFC, o confronto já tem polêmica. O americano é contra o TRT (Terapia de Reposição de Testosterona) e disse que o brasileiro teve desempenho de "Hulk" nas últimas lutas devido ao tratamento. 

Quem vai levar a melhor entre Weidman e Belfort? Opine!

"Ele lutou no Brasil nos dois últimos anos e obviamente se parecia com o Hulk. Para um cara de 36 anos de idade e que tem um nível maior de testosterona do que eu, com 29 anos e que nunca tive nada, não é realmente justo. Então, estou feliz por lutar em Las Vegas e espero a devida diligência ao testá-lo para garantir que não haja trapaça", disse Weidman ao site MMA Fighting.

Leia mais: Empresário descarta aposentadoria de Anderson Silva: 'Acredite, ele vai voltar'

Veja fotos da vitória de Weidman sobre Anderson Silva:


Os três nocautes impressionantes conquistados no ano passado deram a Vitor Belfort o direito de lutar pelo cinturão dos médios. O brasileiro venceu Michael Bisping, Luke Rockhold e Dan Henderson, em combates realizados no Brasil. Para voltar a lutar em Las Vegas, provável sede do duelo contra Weidman, o brasileiro terá de provar à Comissão Atlética de Nevada que necessita da reposição de testosterona.

Vale lembrar que o carioca já foi pego no doping, com níveis elevados da substância, em 2006, em luta contra Dan Henderson, pelo extinto Pride.

"Não sou um cara que usa TRT e não acho que isso pertença ao nosso esporte. Eu não gosto disso",  concluiu Weidman, campeão dos médios do UFC.

Chris Weidman venceu Anderson Silva duas vezes e é o dono do cinturão dos médios do UFC
Getty Images
Chris Weidman venceu Anderson Silva duas vezes e é o dono do cinturão dos médios do UFC


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.