Dana critica juiz por não parar a luta entre Velásquez e Cigano no 3º round

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Mandatário do UFC disse que o árbitro Herb Dean poderia ter encerrado o combate após o konockdown aplicado pelo americano no brasileiro

Na nova derrota de Junior Cigano para Cain Velásquez, o brasileiro sofreu com os golpes do americano durante os cinco rounds de luta e ficou com o rosto bem castigado. Para o mandatário do UFC, Dana White, o árbitro Heb Dean deveria ter parado o combate quando Cain aplicou um knockdown em Cigano, no terceiro round da luta que valia o título dos pesos-pesados do UFC.

Leia mais: Velásquez dá nova surra em Cigano e mantém o cinturão dos pesados do UFC

Veja fotos do UFC 166:

Cain Velásquez e Cigano em encarada do UFC 166. Foto: Nick Laham/Getty ImagesCigano não conseguiu impor seu boxe durante toda a luta. Foto: Nick Laham/Getty ImagesCigano leva cruzado de direita de Velásquez em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesA luta chegou a ser interrompida devido aos sangramentos do brasileiro. Foto: Nick Laham/Getty ImagesCigano teve grande sangramento no supercílio esquerdo na derrota para Velásquez. Foto: Nick Laham/Getty ImagesJunior Cigano foi jogado contra a grade durante os cinco rounds de luta. Foto: Nick Laham/Getty ImagesCigano sangrou bastante nos últimos rounds da luta. Foto: Nick Laham/Getty ImagesCain Velásquez manteve seu cinturão dos pesados do UFC. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Getty ImagesOs dois lutadores se abraçam após o combate. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Getty ImagesCigano ficou com o rosto bastante machucado após ser castigado por Cain Velásquez. Foto: Nick Laham/Getty ImagesNapão comemora vitória sobre Jordan em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesApós acertar overhand de esquerda, Napão acerta socos e vence americano em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesDaniel Cormier venceu Roy Nelson em decisão unânime dos juízes. Foto: Nick Laham/Getty ImagesArianny Celeste, ring girl do UFC, manda beijo para os fãs em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesDodson dá mortal após vitória no UFC 166. Foto: Nick Laham/Getty ImagesDodson acerta cruzado de esquerda em Montague em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesMelendez e Sanches fizeram luta selvagem e agressiva no UFC 166. Foto: Nick Laham/Getty ImagesJessica Eye comemora vitória sobre Kaufman em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesJessica Eye e Sarah Kaufman fizeram a luta feminina da noite. Foto: Nick Laham/Getty ImagesKyoji Horiguchi aplica nocaute em Dustin Pague em Houston. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Getty ImagesHoriguchi comemora vitória na primeira luta da noite. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Getty ImagesJeremy Larsen sofreu dois cortes na testa na derrota para Andre Fili. Foto: Nick Laham/Getty ImagesAndre Fili celebra nocaute sobre Jeremy Larsen em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesLombard aplica sequências de socos e leva rival ao chão em Houston. Foto: Nick Laham/Getty ImagesO cubano Hector Lombard nocauteou Nate Marquadt logo no primeiro round do UFC 166. Foto: Nick Laham/Getty ImagesAmagov deixa o rival desacordado no octógono do UFC 166. Foto: Nick Laham/Getty ImagesAmagov nocauteou Tj Waldburger no primeiro round. Foto: Nick Laham/Getty ImagesTony Ferguson comemora vitória contra Mike Rio. Foto: Nick Laham/Getty ImagesTony Ferguson finalizou Mike Rio com um triângulo de mão invertido. Foto: Nick Laham/Getty ImagesLarsen sangra bastante após ser golpeado por Andre Fili. Foto: Nick Laham/Getty Images


"Não sou médico, mas acho que aquela luta tinha de ter sido encerrada no terceiro round. Sou um cara que estou nesse esporte por bastante tempo, sei que Junior é um cara duro, como vimos nessa e na outra luta, mas acho que o juiz tinha de ter parado o combate. Acho que ele não precisava ser golpeado mais", disse o presidente do UFC. 

Leia mais: Nocauteado por russo, americano sai de maca e é levado para hospital em Houston

Jogado contra a grade durante praticamente toda a luta, o brasileiro foi ao chão após levar um direto, tomou algumas marteladas de Velásquez, mas não apagou e o árbitro seguiu com a luta. No fim, após apanhar bastante e ficar com o rosto praticamente deformado, o brasileiro foi nocauteado no quinto round, depois de errar um estrangulamento e desabar de cabeça no chão. 

Dana White ainda reclamou do médico, dizendo que ele poderia terminar o combate entre o quarto e o quinto round devido aos ferimentos no rosto de Cigano, que teve cortes no supercílio e na orelha. "O médico tinha de ter parado o combate. Um dos olhos estava fechado e o outro tinha um corte enorme. Ele estava ferido."



Leia tudo sobre: dana whiteufcjunior ciganocain velásquez

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas