Minotouro exalta trabalho de medicina ortomolecular para luta diante de Rashad

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Lutador adotou um novo sistema de preparação e não passou pela famosa desidratação antes da vitória diante de Rashad Evans, no último sábado

Getty Images
Rogério Minotouro conta com a ajuda da ciência para as suas lutas

A melhor exibição da carreira de Rogério Minotouro, na opinião do próprio, frustrou o jogo de quedas do americano Rashad Evans, no UFC 156, sábado passado, mas não a equipe que o acompanhou na preparação para o combate. O baiano, de 36 anos, mostrou-se rápido e preciso como nos tempos de Pride, há 10 anos, graças à nova disciplina de se manter próximo do peso da categoria meio-pesada (93 quilos) e à medicina ortomolecular. Como um garoto que brinca de ciência, ele sonha com o cinturão e já faz planos de pegar uma nova fera da divisão.

“Vencer o Rashad foi importante para subir dentro da categoria, ele é um top 5 e acredito que entrei nesse bolo. Acho que mais uma boa vitória me dá a chance de disputar o título. Não pensei em nomes ainda, mas quero outro do mesmo nível”, diz Rogério.

Leia mais: Pezão dá show, surpreende Overeem com nocaute e levanta arena

O novo sistema de preparação adotado fez com que o irmão Nogueira não passasse por desidratação e não sofresse para bater o peso na véspera do evento, com redução do nível de gordura corporal.

“O planejamento foi feito para que ele chegasse na semana da luta o mais perto do peso da categoria. Nós tentamos baixar ao máximo o nível de gordura do Rogério e acredito que, na hora da luta, ele estava com 8 ou 9% apenas”, conta o farmacêutico Rodrigo Abdala, um dos responsáveis por "afinar" o brasileiro. “Ele estava com gás para cinco rounds”, acrescenta.

Getty Images
Minotouro vence Rashad Evans em decisão unânime dos jurados do meio-pesados

Segundo a médica ortomolecular Janaína Barboza, "secagem" nunca mais para Rogério. “O trabalho feito é bioquímico, que vai do cérebro aos testículos. Isso é feito para que ele não tenha mais que passar pelo processo de desidratação, que limita o rendimento do atleta”, explica.

Com o preparo físico em dia e a cabeça boa, sobram motivos para sorrir. Principalmente após a melhor vitória do brasileiro no UFC.

“Foi o combate que cheguei melhor fisicamente dentro do evento, uma das melhores exibições da minha carreira. A fase é ótima”, decreta Minotouro, entusiasmado.

Leia tudo sobre: rogério minotouroufc

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas