Medalha de prata em Londres, pugilista quer treinar mais 4 anos de boxe olímpico antes de ir para as artes marciais mistas

Esquiva (d) mostra medalha ed prata em Londres
EFE
Esquiva (d) mostra medalha ed prata em Londres

O pugilista Esquiva Falcão, medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, planeja seguir na modalidade por mais quatro anos para poder brigar pelo ouro no Rio de Janeiro-2016. Passado o evento carioca, ele quer iniciar carreira no MMA, em que já sonha com o mesmo sucesso de outros lutadores nacionais, como Anderson Silva.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Esquiva e seu irmão Yamaguchi Falcão, que conquistou um bronze, foram protagonistas do bom desempenho do boxe nacional na capital inglesa, que ainda teve a medalha de bronze de Adriana Araújo no feminino. Antes de Londres-2012, o Brasil tinha subido ao pódio olímpico apenas uma vez na modalidade, com Servílio de Oliveira na Cidade do México-1968.

"É um sonho do meu pai e vou lutar MMA, mas acredito que depois de 2016. Nesses quatro anos eu vou treinando outras lutas: chutes e lutas de chão para quando chegar em 2017 eu estrear no MMA e dar certo. Ser um Anderson Silva, quem sabe", explicou Esquiva, filho do também pugilista Toro Moreno.

O lutador paulista citado por Esquiva Falcão é considerado o melhor atleta de MMA da história e detém o cinturão de campeão mundial da categoria peso médio do UFC, evento mais importante da modalidade. No próximo dia 13, Spider, apelido pelo qual Silva é conhecido, colocará à prova sua superioridade técnica em duelo com Stephan Bonnar pelos meio-pesados.

O desejo de Esquiva de mudar de modalidade após as Olimpíadas no Rio de Janeiro se deve à questão financeira. Após a prata em Londres, o pugilista já recebeu propostas para deixar o boxe amador, olímpico, e se tornar profissional, com possibilidade de obter rendimentos maiores.

"Recebi bastante proposta, está tudo em análise para ver se continuo ou se passo para o profissional. Mas acredito, pelo que está acontecendo, que vou até 2016 para buscar esse ouro. Nas Olimpíadas também dá para ganhar dinheiro com os patrocinadores, você tem um momento de fama e acredito que até lá vou ganhar muito mais do que no profissional", avaliou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.