Tamanho do texto

Ex-campeão diz que categoria dos médios é uma das mais duras da história e que busca revanche contra Anderson Silva

Não será a primeira vez, mas lutar no Rio de Janeiro tem sabor especial para Vitor Belfort. Integrante do card da terceira edição do evento na cidade, que acontecerá no dia 13 de outubro, o peso médio do UFC esteve em um hotel da zona Sul nesta terça-feira para promover a venda de ingressos, que começam na quarta, e atender a imprensa.

O estilo focado, profissional, contrasta com o tradicional jogo de provocações e brincadeiras de alguns lutadores, como o americano 'Rampage' Jackson, que também está no Rio de Janeiro. Belfort elogia o oponente Alan Belcher e admite que busca o cinturão da categoria numa possível revanche contra Anderson Silva em uma conversa exclusiva com o iG .

Qual será a grande luta do UFC Rio 3? Comente

Recuperado de uma fratura na mão, sofrida durante os treinos para o UFC 147, quando enfrentaria Wanderlei Silva em Belo Horizonte, Belfort fará a preparação para o próximo desafio nos Estados Unidos, mas garante que lutar no Rio de Janeiro o deixará 'com os olhos cheios de lágrima' novamente.

Leia mais: UFC Rio 3 terá ingressos entre R$ 137 e R$ 1.800. Venda começa nesta quarta

"Não tem preço, é inestimável atuar com esse apoio. Eu dou palestras e nelas uso um vídeo que um fã fez com o pessoal gritando, vibrando na minha luta aqui. Toda vez que vejo os olhos enchem de lágrimas e acho que desta vez não será diferente. Não dá para colocar um valor, um peso nisso. Acho que isso se chama estrada. Os fãs são a base, fazem parte da minha história, principalmente os mais leais", disse Belfort.

Sobre o adversário, Belfort diz que a principal qualidade de Belcher é ser um lutador completo. O médio promete treinamento duro para não ser surpreendido e decepcionar os fãs em casa.

Veja mais: Lutador de MMA é assassinado ao sair de baile funk no Rio de Janeiro

"Os treinos têm sido duros, minha mão está boa, estou liberado já. A preparação é focada na minha luta, mas existe uma preparação também para o estilo do meu oponente. Tenho que me preparar bem. Vou lutar com um cara bom, que chuta muito bem e pode me surpreende, então a gente tem que estar preparado para tudo. Ele também está com um chão muito afiado, perigoso, é um adversário completo, um lutador da era moderna".

Apesar de evitar entrar em polêmica com Anderson Silva, com quem trocou algumas farpas antes e depois da luta entre ambos, no UFC 126, o peso médio admite que o cinturão de 'Spider' é o objetivo principal da carreira e que espera por uma nova chance para disputá-lo.

E ainda: UFC confirma luta entre Mauricio Shogun e Alexander Gustafsson

"A categoria dos médios é uma das mais duras, talvez a mais dura. Da história e do momento atual. Está cada vez vai ficando mais difícil. Vão passando as fases, mas o nível aumenta, a tendência é melhorar, não tem como piorar. E claro que disputar o cinturão é meu objetivo, meu sonho. Vou trabalhar para ter essa oportunidade", encerrou Belfort.