Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Luis Álvaro ainda lamenta saída de Dorival Jr. do Santos

Presidente do time da Vila Belmiro afirma que ficou muito chateado por perder o treinador e diz que ainda mantém amizade com ele

Gazeta |

O Santos pode considerar que teve um ano vitorioso em 2010. Afinal, com a conquista dos títulos paulista e da Copa do Brasil, o time foi um dos times brasileiros mais vencedores no ano. Mas, apesar da felicidade com a temporada positiva de sua equipe, o presidente santista, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, ainda lamenta a forma como o técnico Dorival Júnior deixou o clube, no dia 21 de setembro deste ano.

O treinador foi demitido após uma polêmica com o atacante Neymar. O camisa 11 alvinegro havia xingado Dorival, na vitória sobre o Atlético-GO, por 4 a 2, no dia 15 de setembro, na Vila Belmiro. O comandante pediu o afastamento de Neymar, tendo sido atendido parcialmente em um jogo, além da aplicação de uma multa salarial no jogador. Insatisfeito, Dorival Júnior manteve o afastamento da Joia para o clássico contra o Corinthians, uma semana depois, e foi demitido.

Na ocasião, a diretoria do Santos alegou que a decisão do técnico em manter Neymar fora do time, quebrava a hierarquia do clube. Agora, três meses depois, Luis Álvaro lamenta. "A saída do Dorival foi um golpe que eu senti", afirmou.

O mandatário santista relembrou o episódio e aproveitou para elogiar o seu antigo treinador, que fez uma brilhante campanha no restante do Brasileirão, salvando o Atlético-MG do rebaixamento à Série B do campeonato.

"Fiquei chateado. Tudo ocorreu as vésperas de uma cirurgia (na bolsa dos olhos). Foi uma decisão em comum acordo, pois o Dorival Júnior não foi demitido nem pediu demissão. Ele fez um trabalho brilhante aqui e no Atlético-MG. Ainda hoje, nos falamos cotidianamente e mantemos uma boa amizade. Na época, houve uma situação estressante que, infelizmente, gerou a sua saída", comentou.

Indagado se acredita que a decisão de substituir o treinador tenha sido acertada, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro deixou transparecer certo arrependimento. "Outro dia, durante uma reunião, comentei que fui candidato a presidente do Santos e que não tive pretensão de ser Deus. Sou um ser humano, cometo equívocos, isso é natural. Tenho uma obsessão perfeccionista de procurar fazer melhor, só que de vez em quando, erramos. Temos que reconhecer que não somos perfeitos", destacou.

Sem poder contar com Dorival Júnior na próxima temporada, o presidente santista aposta num perfil semelhante ao do seu ex-treinador, para que o time tenha um ano vencedor em 2011, quando o seu principal objetivo será a Copa Libertadores da América. Jovem, em ascensão, e com vocação para montar equipes ofensivas, Adilson Batista é visto por Luis Álvaro como o substituto mais adequado para Dorival.

"Hoje me sinto melhor, aliviado por ter o Adilson como técnico. Ele tem um perfil bastante parecido com o do Dorival. O Adilson Batista é um treinador sério, competente, boleiro e que conhece a alma do jogador de futebol. Além disso, é um profissional de grupo e adepto do futebol ofensivo, que foi a marca registrada do Santos nesse ano que termina", concluiu o dirigente.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG