Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Zagueiro vira-casaca e goleiro santo marcam Corinthians x Palmeiras

Luís Pereira já vestiu a camisa do Corinthians após goleada, mas Marcos se vingou. Relembre clássicos históricos

Bruno Winckler e Danilo Lavieri, iG São Paulo |

O clássico mais antigo do Estado de São Paulo terá mais um capítulo marcante da sua história neste domingo. Em seus 94 anos de rivalidade, Corinthians e Palmeiras

já viram ídolos se provocando e fazendo apostas inusitadas, assim como embates históricos de ícones das duas equipes em cobranças de pênalti. 

Neste domingo, a um empate do título, o Corinthians tentará pela primeira vez ser campeão nacional no Pacaembu, palco onde o Palmeiras já se consagrou com um título brasileiro contra o rival. O time do Parque Antártica não briga por título, mas pode evitar o do Corinthians caso vença o clássico. De qualquer maneira, o clássico do próximo domingo entrará no hall dos maiores jogos da história quase centenária desta rivalidade.

O iG reuniu 10 clássicos memoráveis entre Corinthians e Palmeiras. São cinco vitórias inesquecíveis para cada lado. A sexta, seja para um como para o outro lado, pode vir no Pacaembu, na última rodada deste Brasileirão.

Relembre cinco clássicos em que o Corinthians levou a melhor

Gazeta Press
O título do quarto-centenário foi o último antes de jejum de 22 anos do Corinthians
Corinthians 1 x 1 Palmeiras - Paulista de 1954 - O título do quarto-centenário
Foi um empate, como o que precisa o Corinthians para ser campeão neste domingo. Naquele ano, o Campeonato Paulista era disputado por pontos corridos e o empate foi suficiente para garantir o título ao Corinthians. Luizinho abriu o placar para o Corinthians logo no início do jogo, e o empate do Palmeiras veio aos 7 do segundo tempo com Ney, de cabeça. O detalhe pitoresco deste jogo aconteceu antes de a bola rolar. A diretoria do Palmeiras ficou sabendo que um trabalho de macumba havia sido feito com a tradicional camisa verde do clube. Ela teria sido enterrada por um pai de santo corintiano. O boato foi levado a sério pelos palmeirenses, que entraram em campo com uma camisa azul, para tentar quebrar o feitiço do "macumbeiro". Depois desse título, o Corinthians ficou 23 anos sem ser campeão.

Corinthians 4 x 3 Palmeiras - Paulista de 1971 -  A maior virada da história do clássico
Os relatos da época contam que mais de 60 mil torcedores compareceram ao Morumbi numa tarde de chuva e frio em 25 de abril de 1971. O Palmeiras da "Segunda Academia" era franco favorito, com jogadores de seleção e vindo de conquistas recentes importantes. O Corinthians já amargava uma fila de 16 anos sem títulos. O jogo começou quente e com sete minutos de bola rolando o atacante César Maluco já havia aberto 2 a 0 para o Palmeiras, placar do primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Corinthians buscou o empate com gols de Mirandinha e Adãozinho, mas, aos 26 minutos, Leivinha recolocou o Palmeiras na frente. A reação corintiana veio logo depois, com gol de Tião aos 28. Iguais novamente, os dois passaram a atacar e tratar a vitória como uma questão de honra. O gol derradeiro saiu dos pés de Mirandinha, já nos acréscimos. Foi como se fosse um título para o Corinthians.

Corinthians 5 x 1 Palmeiras - Paulista de 1982 - O dia em quem Luís Pereira virou corintiano
Uma aposta inusitada agitou o jogo na semana que antecedeu a partida. Dois dos principais ídolos das duas equipes, Luís Pereira, do Palmeiras e Wladimir, do Corinthians, apostaram que o perdedor do clássico teria de usar a camisa do rival e dar uma volta olímpica no Morumbi após o jogo. Uma derrota para qualquer um dos lados já provocaria a humilhação do perdedor. Mas foi ainda pior para o palmeirense. O placar não deixou dúvidas sobre quem foi superior: 5 a 1, com três gols de Casagrande, então uma promessa do Parque São Jorge. E Luís Pereira vestiu a camisa alvinegra.

Corinthians 2 x 1 Palmeiras - Paulista de 1995 - Elivélton marca e evita o tri palmeirense
Nessa época o Paulista ainda era valorizado e o triunfo impediu o tricampeonato do Palmeiras no torneio. A partida aconteceu em Ribeirão Preto porque o Morumbi estava fechado para obras. O Palmeiras saiu na frente com um gol de Nilson após passe de Rivaldo. O empate veio com Marcelinho Carioca, que marcou um golaço de falta. O resultado levou o jogo para a prorrogação. O gol do título saiu aos 13 minutos do segundo tempo, com Elivélton, que tirou a camisa tendo uma outra por baixo. "Eu sabia que faria esse gol", disse.

Gazeta Press
Edilson chama a marcação de Rogério na final do Paulista de 1999

Corinthians 2 x 2 Palmeiras - Paulista de 1999 - Jogo das embaixadinhas do Edílson
Um mês antes o Corinthians havia perdido uma vaga nas semifinais da Libertadores para o Palmeiras nos pênaltis. A rivalidade neste período estava no seu auge e na final do Campeonato Paulista ela explodiu. Depois de vencer o primeiro jogo por 3 a 0, o empate dava o título ao Corinthians e aos 31 minutos do segundo tempo, Edílson começou a fazer embaixadinhas no meio campo. A provocação gerou uma briga generalizada. O jogo acabou ali e o Corinthians comemorou seu 23º título paulista.

Relembre cinco clássicos em que o Palmeiras levou a melhor

Palmeiras 1 x 0 Corinthians - Paulista de 1974 - Zum, Zum, Zum é 21!
O Corinthians lutava para sair da fila de 21 anos. E não conseguiu. Ronaldo marcou gol de voleio e decidiu um jogo nervoso. Rivelino e Vaguinho tentaram de todas as formas, mas não conseguiram passar por Leão, que estava em uma noite inspirada. O coro da arquibancada palmeirense era para provocar, gritando "zum zum zum, é 21!", em referência à fila que só acabaria em 1977.

ig
Evair comemora o fim da fila do Palmeiras em 1993


Palmeiras 4 x 0 Corinthians - Paulista de1993 - Evair comanda saída da fila
Depois de 16 anos sem ganhar nada, o Palmeiras conseguiu sair da fila justamente em cima do rival. Com o placar de 3 a 0 no tempo normal, o time comandado por Evair ainda precisou ir à prorrogação para alcançar a taça. No tempo extra, o próprio Evair bateu o pênalti e fez. O eterno camisa 9 define aquele momento como um dos mais difíceis da carreira. Com o placar de 4 a 0, o Palmeiras era campeão Paulista. A conquista virou até música da torcida organizada do Palmeiras.

Palmeiras 3 x 1 Corinthians - Brasileira de 1994 - Rivaldo dá show no Pacaembu
O Pacaembu com quase 40 mil pessoas viu Rivaldo dar show. Após garantir o bicampeonato paulista, o time comandado por Vanderlei Luxemburgo queria ser bicampeão brasileiro. A vitória começou a ser construída aos 44 minutos do 1º tempo, com Rivaldo. Aos 17 minutos da etapa final, o meia conseguiu ampliar o placar. A torcida palmeirense ainda comemorava quando Edmundo ampliou o placar, praticamente sacramentando a conquista. Marques ainda descontou. No jogo de volta, o Corinthians conseguiu ficar só no empate por 1 a 1 e não parou o adversário.

Gazeta Press
Marcos comemora a Libertadores de 1999
Palmeiras 0 x 2 Corinthians - Libertadores de 1999 - Nasce o mito São Marcos
Em 1999, Palmeiras e Corinthians se enfrentaram nas quartas de final da Copa Libertadores. No primeiro jogo, o time comandado por Luiz Felipe Scolari venceu por 2 a 0. Na volta, no Morumbi completamente lotado, o time do Parque São Jorge fez uma verdadeira blitz no ataque e conseguiu dois gols após cruzamentos de Marcelinho Carioca. O primeiro com Edilson e depois com Ricardinho. A decisão foi para os pênaltis, e Marcos começou sua trajetória de santo. Ele defendeu a cobrança de Vampeta e viu Dinei acertar o travessão. O Palmeiras iria para a semifinal e, logo depois, seria campeão de sua primeira Libertadores.

Palmeiras 3 x 2 Corinthians - Libertadores de 2000 - "Marcelinho vem para a batida..."
No ano 2000, os dois times voltariam a se enfrentar na Libertadores, mas, desta vez, na semifinal. Na primeira partida, o Corinthians dominou o arquirrival e poderia ter vencido por um placar elástico. A equipe acabou se acomodando e permitiu que o Palmeiras encostasse no placar. O jogo terminou 4 a 3. No segundo jogo, o Palmeiras saiu à frente e acabou tomando a virada. Aos 26 minutos do 2º tempo, aconteceu a virada da virada. Galeano passou pela costas do então zagueiro Adilson Batista e colocou no fundo das redes, empatando o placar acumulado. A decisão foi novamente para os pênaltis. Aí, Marcelinho Carioca, o último a cobrar pelo Corinthians, errou. Marcos acertou o canto e colocou o time na final da competição.

 
Leia tudo sobre: CorinthiansPalmeirasbrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG