Antônio Carlos, que já marcou 50 gols na carreira, espera ser reconhecido por desempenho na zaga

Na vitória de 4 a 2 do Botafogo sobre o América-MG , no último sábado, o zagueiro Antônio Carlos anotou seu 50º gol na carreira. Apesar da marca, expressiva para um defensor, e das cobranças da mãe por mais gols, o jogador, que quando era criança sonhava em ser atacante, destaca que quer ser reconhecido pelo desempenho em sua posição original.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

"Fiz muitos gols no começo da carreira, depois vim fazendo uma boa média de gols em todos os times que passei, mas não quero ser cobrado para fazer gol. Minha área é defender, mas fico feliz de marcar. Minha mãe me liga todo jogo pedindo para marcar mais um e eu brinco falando que não é minha especialidade, mas eu gosto de fazer gols, claro", disse o zagueiro do Botafogo.

Para Antônio Carlos, defender e evitar os gols dos times rivais é mais complicado que deixar sua marca. "Evitar é mais difícil que marcar um gol. Constantemente a gente enfrenta atacantes goleadores, que fazem muitos gols, difíceis de marcar. Enquanto para marcar a gente não tem tanta responsabilidade, aparece como homem surpresa", declarou Antônio Carlos.

Entre para a Torcida Virtual do Botafogo e convide seus amigos

Sem Loco Abreu, lesionado, e o meia Elkeson, suspenso, o jogador não quer ter a responsabilidade de marcar os gols, mas promete ajudar tentando atrair a marcação dos zagueiros do Inter.

"Não joguem essa responsabilidade para mim (risos). Claro que posso aparecer como um elemento surpresa. Mas tomara que me marquem e deixem os outros livres. Tenho que me preocupar em marcar os atacantes do Inter e em pensar em fazermos mais um bom jogo fora de casa", finalizou o jogador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.