Brasileiro não sofreu nada grave e agora é apontado como possível causador do fogo que deixou um prejuízo de 1,5 milhão de euros

O zagueiro brasileiro Breno passou a ser investigado pela polícia alemã após o incêndio que destruiu a sua casa na última terça-feira, em Munique, na Alemanha. A suspeita é de que ele tenha sido o responsável pelo fogo, que destruiu a residência e deixou um prejuízo de cerca de 1,5 milhão de euros - o jogador do Bayern, que estava sozinho no imóvel, não sofreu nada grave.

Thomas Steinkraus-Koch, responsável pelo caso, declarou ao jornal TZ, de Munique, que "há uma investigação sobre incêndio criminoso contra Breno, porque a opinião dos peritos envolvidos é de que não se trata de um evento acidental".

A polícia alemã não deu detalhes sobre quais foram os fatos que levaram a esta suspeita de que o incêndio, iniciado no quarto de hóspedes, seja proposital. O Bayern de Munique confirmou que o zagueiro de apenas 21 anos está sendo investigado, ressaltando sua "surpresa" com essa "nova situação". "Como não temos mais informações, não podemos comentar", diz a nota oficial divulgada nesta sexta-feira pelo clube.

No dia do incêndio, a esposa de Breno, Renata, e seus três filhos não estavam em casa. Sozinho no local, o zagueiro conseguiu escapar sem grandes ferimentos, mas chegou a ser levado ao hospital por ter inalado muita fumaça. O jogador ainda não comentou o caso, mas está recebendo todo o amparo do Bayern, clube que defende desde de 2008, quando foi vendido pelo São Paulo .

*com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: bayern de munique
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.