Lua de mel da torcida do Corinthians com Ronaldo passa por turbulência, mas clube o apoia. Equipe perdeu por 2 a 0 para o Tolima

Quando o Corinthians sofreu o segundo do Tolima na quarta-feira, aos 32 minutos da etapa final, os quase 200 corintianos que se deslocaram do Brasil para Ibagué elegeram logo o alvo dos protestos: Ronaldo , o mais bem pago jogador do clube e sem marcar gols há seis partidas pelo Corinthians, teve de ouvir gritos de "Fora, Ronaldo" e outros menos publicáveis.

A má fase do "Fenômeno", que anunciou para o final deste ano sua aposentadoria, tem, porém a complacência de seus chefes. Andrés Sanchez e Tite são só afagos para o jogador, ainda visto como diferente e "capaz de resolver qualquer partida a qualquer momento" mesmo estando bem aquém da forma que o fez se consagrar no Corinthians em 2009 e de certa forma na reta final do Brasileiro de 2010.

"Não foi o Ronaldo a decepção. Foi a diretoria, fui eu, os atletas, a comissão técnica, quando se ganha, quando se perde todo mundo tem seus erros e méritos. Não tem nenhum herói e nenhum vilão. O Brasil tem que parar de achar os seus mártires. Todo mundo errou", disse, inspirado, o presidente corintiano.

Ronaldo é alvo de protestos na sede do Corinthians durante a madrugada
Futura Press
Ronaldo é alvo de protestos na sede do Corinthians durante a madrugada
Tite também foi um aliado de Ronaldo usando o já batido argumento de que ele é "diferente". "Não individualizo a culpa. O Ronaldo é um jogador terminal que de três bolas que entram, uma ou duas ele guarda, a outra ele deixa na cara do gol". O atacante teve uma atuação razoável no segundo tempo, mas esteve longe de ser "terminal". Em 45 minutos, além de uns dribles mal acabados, o "Fenômeno" teve só uma verdadeira grande chance, quando ainda estava 0 a 0, mas o goleiro Silva espalmou para fora.

Ao fim do jogo, naturalmente abatido, Ronaldo tentou justificar a eliminação culpando as condições do gramado. Sensato, disse que aguentaria as pressões e as consequências da derrota. Mesmo assumindo a sua responsabilidade, Tite e Sanchez preferem poupá-lo, ao menos publicamente.

A torcida em São Paulo, porém está atenta aos passos de Ronaldo, Sanchez e Tite. Logo após o jogo alguns corintianos picharam os números do Parque São Jorge pedindo a saída do trio do Corinthians .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.