A empresa AEG, que vai fazer a gestão da Arena, disse não ao Corinthians e pode tirar shows do Morumbi

Ao anunciar que fechou pelos próximos 30 anos com a AEG para a gestão da Arena Palestra Itália, na coletiva de imprensa que começa às 10h30 desta quinta-feira, a WTorre não só coloca a maior empresa de gestão de arenas do mundo no comando da casa do Palmeiras , como atrapalhará rivais diretos na capital paulista, o São Paulo e o Corinthians .

O time do Morumbi pode perder renda com shows realizados em seu estádio. Isso porque a multinacional que acertou com a WTorre tem o hábito de comprar turnês de grandes estrelas pelo mundo e, como consequência, as coloca nas arenas que gerencia.

O Palmeiras terá direito a uma parcela da receita, que crescerá com o passar dos anos. Com isso, o São Paulo pode perder boa parte desta que hoje é uma de suas principais fontes de renda.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores


Se a modernidade e a acessibilidade da nova casa palmeirense já atrairiam eventos, a gestão feita pela AEG é outro motivo para que nomes de repercussão mundial cantem para públicos que podem chegar a mais de 60 mil pessoas, incluindo aí o setor de pista, no gramado.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

O Corinthians também saiu perdendo. O clube cogitou fazer um acordo com a AEG, mas acabou recebendo uma negativa por causa da localização do "Fielzão", na zona leste de São Paulo, local considerado de difícil acesso pela empresa multinacional. No evento desta quinta-feira, a WTorre anunciou que o acordo fechado é de exclusividade na capital paulista.

A AEG também atinge a Traffic, ex-parceira do Palmeiras e atual responsável pela comercialização de camarotes e alguns outros itens da Arena. Com essa assinatura, a empresa de J. Hawilla perde o direito de ganhar dinheiro também com shows. A Traffic chegou a ser cogitada para assumir a função, mas preferiu não aceitar e, atualmente, se diz muito feliz pelo acordo com a AEG.

Outro item que pode ajudar o Palmeiras, neste caso, é que a AEG, por tradição, investe nos times que são donos das casas que gerencia. Ainda não há conversa nesse sentido.

Nesta quinta-feira, além de anunciar a AEG, a WTorre mostra a maquete com o novo visual revelado há algum tempo pelo próprio presidente da companhia, Walter Torre Jr., via Twitter. O evento para tudo isso custou R$ 300 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.