Presidente da empresa afirma que pedido de Luiz Gonzaga Belluzzo deve ser respeitado

A WTorre está de acordo com Luiz Gonzaga Belluzzo e toparia afastar a Traffic das negociações dos direitos de comercialização da nova Arena do Palmeiras. A afirmação é do presidente da construtora, Walter Torre.

"Não tenho falado com o professor Belluzzo ultimamente, tenho estado fora do Brasil. Aliás, desde a saída do hospital ainda não nos falamos. Mas pela admiração que tenho por ele, o apoiaria incondicionalmente", disse o empresário ao iG.

O iG apurou que Belluzzo pretende cortar todos os vínculos entre Palmeiras e Traffic , até recentemente parceira do clube para contratação de jogadores. A decisão do presidente se deve à tentativa da empresa em ajuda o Flamengo a contratar Ronaldinho Gaúcho - o Palmeiras trabalha há meses para fechar essa negociação.

A exclusão do projeto da arena palmeirense, se confirmada, pode custar caro a Traffic. O grupo de trabalho da WTorre estima que a agência, caso fique fora do projeto, pode acumular um prejuízo a longo prazo de cerca de R$ 200 milhões.

Até agora a Traffic não oficializou a comercialização de nenhum item da Arena do Palmeiras. Há apenas rumores de que esteja bem perto de fechar com a Unimed para o naming rights do estádio.

Tirar a Traffic do comando das negociações da Arena é uma atitude que depende de forma integral da WTorre, já que a construtora detém os direitos comerciais do estádio pelos próximos 30 anos. O Palmeiras nada pode fazer, a não ser pressionar a empresa.

Além da tentativa de ajudar o Flamengo, a Traffic também já era alvo de críticas dentro do Palmeiras nos últimos meses por causa da falta de investimentos no futebol e da cobrança de uma dívida de R$ 12 milhões referente a ajuda de custos nos últimos dois anos. O time pensava que essa ajuda não seria cobrada.

Obra da Arena continua em ritmo forte

Enquanto a WTorre pensa em tirar a Traffic do negócio, as obras continuam a todo vapor. Walter Torre afirmou que em breve o estádio começará a fazer parte do cenário da capital. "A obra cada vez num ritmo mais forte, daqui a pouco ela começará a surpreender todos os paulistanos", explicou.

A obra segue firme após todos os problemas enfrentado pelo time, como falta de um alvará de construção da obra, falta de seguro e até da resistência interna por parte da oposição palmeirense.

Atualmente, uma apólice de seguro que já garante o término da obra já está nas mãos do Banco do Brasil. Outra segue sendo discutida entre WTorre e Palmeiras para que todos os pedidos do clube sejam atendidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.