Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

William elege líderes, e Roberto Carlos se candidata a capitão

Prestes a se aposentar, atual capitão corintiano aponta quatro líderes natos e lateral-esquerdo diz que seria um orgulho assumir responsabilidade

Bruno Winckler, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854421279&_c_=MiGComponente_C

O zagueiro William, capitão do Corinthians nos últimos três anos, já tem seus companheiros preferidos para assumir o posto a partir de janeiro do ano que vem.  Segundo ele, a tarja de capitão que vergou nos três títulos conquistados pelo clube nesse período tem quatro candidatos potenciais: Ronaldo, Roberto Carlos, Alessandro e Chicão. 

Os quatro, todos eles, poderiam usar a faixa, são líderes natos. E mesmo que só um use, os outros não deixariam de serem os líderes que são. Temos vários líderes, e às vezes usar a tarja é apenas figurativo, disse William, que faz seu último jogo da carreira domingo  contra o Goiás.

Gazeta Press
Capitão William faz o último jogo de sua carreira no próximo domingo

William só não quer ser ele o responsável por escolher o novo capitão da equipe. Ele passa a responsabilidade para o técnico Tite e para a diretoria de futebol. Minha sorte é que aqui não é política, em que tem que trabalhar para eleger o sucessor como o presidente Lula fez com a Dilma (risos). No futebol é diferente e naturalmente os líderes aparecem, não tem nada imposto. Se quiserem  pode até dar faixa, mas pessoas dentro do grupo de forma tácita respeitam mais o Alessandro, Chicão, Roberto ou Ronaldo, mesmo que não tiverem a faixa, disse.

William não participou de seis partidas neste Brasileirão e quando esteve ausente Chicão e Roberto Carlos dividiram a responsabilidade. O substituto imediato do capitão foi o parceiro de William na zaga. Chicão assumiu a responsabilidade contra Atlético-GO, Cruzeiro e Vitória, nos duelos do primeiro turno. Quando a dupla de zaga não jogou foi Roberto Carlos o capitão. O lateral vestiu a faixa contra o Goiás, no primeiro turno, e contra Prudente e Ceará, no Pacaembu.

Roberto Carlos se candidata
Com vasta experiência internacional, Roberto Carlos diz aceitar a responsabilidade se ela lhe for dada. Talvez por minha trajetória no futebol eu seja um dos líderes que o William falou e tenha esse respeito do grupo. Para mim não tem problema se eu for o capitão. Será um orgulho, disse Roberto.

O lateral entende que não é o favorito para ser o novo capitão. Para ele, Chicão e Alessandro, por estarem a mais tempo no clube estão um pouco a frente dele nessa disputa. Eu sou o mais velho, mas cheguei esse ano. O Alessandro e o Chicão estão há mais tempo aqui e se o Tite escolher um dos dois vai estar bem escolhido.

Mesmo com a participação na Libertadores garantida, Roberto Carlos acredita que não será necessário que o capitão do Corinthians tenha um maior renome internacional, como é o seu caso, para se dar bem com os juízes sul-americanos.  Não tem muita diferença não. A postura em relação ao árbitro vai ser a mesma seja quem for o capitão", disse Roberto.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthians

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG