Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Walter Torre confia em regularizar documentos da Arena até sexta

Dono da construtora esbanjou otimismo sobre o futuro do seu projeto, apesar dos problemas recentes

Gazeta Esportiva |

O Palmeiras tem até sexta-feira para assinar a escritura da obra da Arena Palestra Itália. Esse foi o prazo colocado por Walter Torre, dono da construtora WTorre, em encontro com o presidente Arnaldo Tirone na semana passada. Caso contrário, a reforma poderia ser até paralisada.

Em entrevista à "Rádio Bandeirantes" na noite desta segunda-feira, Walter Torre demonstrou confiança em receber boas notícias da parte do Palmeiras. Ele acha que o presidente Arnaldo Tirone irá "entrar para a história como aquele que inaugurou uma nova fase do futebol no Brasil" na questão de estrutura.

Ao falar do estádio palmeirense, que tem previsão de ser inaugurado em abril de 2013, Walter Torre se empolga. Ele avisa que será um dos cinco palcos mais bonitos do mundo para o futebol e promete uma surpresa, com a divulgação de uma nova imagem da casa alviverde.

Veja os principais trechos das explicações de Walter Torre sobre a Arena Palestra Itália:

Escritura
Tenho certeza de que o presidente Arnaldo Tirone vai entrar para a história como aquele que inaugurou uma nova fase do futebol no Brasil, nós vamos entrar no primeiro mundo no futebol. Tenho certeza que na sexta-feira todo palmeirense assinará a escritura com a caneta ou com o coração.

Paralisação da obra
Tem uma data limite para definir a assinatura da escritura, que é a cópia fiel do contrato, vai até o fim desta semana. Tenho certeza de que o Arnaldo Tirone entendeu bem. O problema é que, a partir de agora, nós precisamos comprar partes da estrutura da obra, fechar um contrato de cerca de R$ 80 milhões. A data desta compra era dia 30 de abril, mas sou um grande comprador e a fornecedora vai entender. Se não comprar agora, não entregamos em abril de 2013. Infelizmente, é difícil continuar investindo no terreno dos outros, no terreno deles. Eu fiz um ultimato na reunião de quarta passada. Há uma data que precisam se pronunciar.

Relação com as obras
A gente tem uma empresa faz 30 anos que trabalha na boa fé. O contrato quase não serve para nada se os dois lados não tiverem boa fé. A gente trabalha para que os dois lados estejam satisfeitos. Quando começamos a fazer o movimento de construir algo em São Paulo que seria um ícone, ia além do Palmeiras, seria para a cidade, sou um apaixonado por esta cidade.

Mudanças do projeto
A obra é dinâmica, dia a dia sofre modificações, que o contrato não pode prever. Por isso precisa de um relacionamento de boa fé. Na verdade, descumprimos o contrato em várias cláusulas. Já alteramos o projeto em 23 ou 24 milhões de reais. As mudanças para melhor devem ser feitas. Isso faz a chance de pleitearmos os jogos da Copa das Confederações e a chance de ser uma alternativa para a Copa do Mundo de 2014, caso a arena do outro time não saia.

Duelo com Mustafá
O Mustafá tem uma ideia de que toda a obra será paga em cinco anos, mas se você realmente for pensar só na questão do negócio, nunca faria nada. Essas palavras do Mustafá são políticas, mas preciso que todos remem juntos, o objetivo é inaugurar tudo em abril de 2013. Precisamos remar para o mesmo lado. A grande questão é que essa gestão está pedindo alguma vantagem para dizer que estão querendo fazer algo melhor do que a outra. Estou tentando tirar a falsa impressão de que é só lucrativo para a nossa empresa. É bom para o Palmeiras.

Surpresa
Estamos faz poucos dias de surpreender a todos com uma nova imagem do estádio. Vai ser algo mais suíço do que africano. Assumi compromisso de fazer um dos cinco estádios mais bonitos do mundo.

Discussão do seguro
Agora, o Palmeiras quer um seguro de 100%, mas não existe, é impossível. O seguro consiste no valor que a responsável por esse documento irá arcar caso a WTorre desista. Normalmente, ela teria de dar 10%, cerca de R$ 35 milhões, e buscar outra construtora para assumir o resto do valor da obra.
Se houver um seguro de 100%, a seguradora teria de pagar toda a obra e a construtora que fosse entrar no lugar não teria gasto nenhum. Não é possível pessoas continuarem seguindo nesta tecla. Pedi para se atualizarem, conversem com pessoas atualizadas em seguros. Hoje, o seguro da arena está em 38%. Normalmente, seguro de performance nunca é mais de 10%. Eu ainda tenho que confirmar os números, mas o documento da Arena do Maracanã está neste patamar de 10%.

Leia tudo sobre: palmeirasarenawalter torre

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG