Atacante ainda não marcou no Brasileirão e tem boa chance contra segunda defesa mais vazada do torneio

O atacante Wallyson vive a expectativa de ser um dos artilheiros da Libertadores mesmo com o Cruzeiro tendo sido eliminado nas oitavas de final. Por aí já dá para se ter uma ideia da eficiência do atacante no torneio continental. Mas, no Brasileirão, o veloz jogador ainda não balançou as redes e está incomodado com o jejum. Contra o América-MG , ele encara a segunda defesa mais vazada do torneio e quer voltar aos velhos tempos.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

A última vez que Wallyson marcou um gol foi na final do Campeonato Mineiro, na vitória de 2 a 0 sobre o Atlético-MG. O jogador sabe que todo atacante vive de gols.

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

Contra o Palmeiras, Wallyson parou em grande atuação do goleiro Marcos
Vipcomm
Contra o Palmeiras, Wallyson parou em grande atuação do goleiro Marcos

“É só ter paciência, deixar essa fase ruim passar o mais rápido possível, porque atacante vive de gols. Não marquei ainda no Brasileirão, mas estou tranquilo. Tenho a confiança do meu treinador, dos meus companheiros, então é só trabalhar que a bola vai entrar na hora certa”, disse Wallyson, que já teve dez finalizações na competição, quatro certas e seis erradas. Os dados são do Footstats e estão disponíveis no aplicativo iG Esporte para iPhone e iPad

Tenha as estatísticas no seu iPhone e faça comparações entre times e jogadores

Sobre a queda de rendimento no Brasileirão, Wallyson não encontra muitas explicações e só quer saber de voltar a ser o jogador da Libertadores. “Estou trabalhando muito forte para voltar a ser aquele Wallyson da Libertadores, jogando bem, ajudando minha equipe, fazendo os gols”, revelou.

A defesa do América-MG, próximo adversário do Cruzeiro na competição, é a segunda mais vazada da competição, tendo sofrido dez gols nos quatro jogos disputados (a pior é a do Avaí, que levou 12 gols). Apesar dos números desfavoráveis dos adversário, Wallyson respeita a tradição de um clássico.

“É a segunda pior defesa, mas nossa equipe sempre respeita os adversários. Clássicos são muito complicados. O América tem uma história muito grande aqui, mas, com todo respeito, vamos jogar para conseguir os três pontos no Brasileirão. Sabemos que nossa equipe não está vivendo bom momento, mas essa fase vai passar o mais rápido possível”, garantiu Wallyson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.