Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Volta de Luis Fabiano se diferencia das de outros astros do país

Apesar de ter mercado no futebol europeu e ainda ser cotado na seleção, atacante retornou ao São Paulo

Levi Guimarães, iG São Paulo |

A contratação do atacante Luis Fabiano pelo São Paulo, anunciada na noite de sexta-feira, já entrou para a lista de grandes negociações feitas recentemente pelo futebol brasileiro. Mas, em diversos aspectos, o retorno do camisa 9 se diferencia das voltas de jogadores como Adriano, Ronaldo, Roberto Carlos, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo.

Analisando o atual momento da carreira de Luis Fabiano, é possível afirmar que ele cumpre todos os requisitos para ainda ser visto como um jogador com mercado na elite do futebol europeu, mas mesmo assim quis voltar ao Brasil. Esse foi um dos aspectos destacados pelo presidente são-paulino, Juvenal Juvêncio, no anúncio da contratação. Segundo o dirigente, o atacante tinha propostas de clubes da Itália, da Inglaterra, de Portugal e da Espanha.

Com 30 anos completados em novembro, Luis Fabiano assinou com o São Paulo por quatro temporadas e a expectativa é de que permaneça por todo esse período jogando em alto nível. Depois, ainda poderá renovar por mais tempo para encerrar sua carreira no clube. Deve ter, portanto, tempo suficiente para se tornar o maior artilheiro da história são-paulina.

EFE
Titular da seleção brasileira na Copa de 2010 e destaque no Sevilla, Luis Fabiano volta ao Brasil quando ainda tinha mercado na elite do futebol europeu

Pelo aspecto comportamental o jogador também não causa qualquer tipo de preocupação. É verdade que em sua primeira passagem pelo São Paulo ele viveu momentos polêmicos, incluindo diversas expulsões, mas após sete temporadas na Europa conquistou respeito como exemplo de bom profissional, sendo inclusive um dos nomes inquestionáveis com o exigente técnico Dunga na última Copa do Mundo.

Seu possível aproveitamento na seleção brasileira, aliás, é outra diferença entre Luis Fabiano e a maioria dos astros que voltaram ao Brasil recentemente. Apesar de ainda não ter sido chamado por Mano Menezes, o atacante tem idade e futebol suficiente para sonhar em disputar a Copa de 2014. Voltar à vitrine do futebol brasileiro só deve ajudar neste objetivo.

Por fim, o aspecto financeiro da negociação de Luis Fabiano também é bastante diferente dos casos anteriores. Por 100% dos direitos do atacante, o São Paulo pagará ao Sevilla mais de R$ 17 milhões (7,6 milhões de euros). Além disso, o próprio jogador abriu mão de parte dos valores que deveria receber do time espanhol. Na maioria dos casos anteriores, os jogadores chegaram sem custo e toda a dificuldade nas negociações foi em relação a como bancar os salários.

Confira abaixo um resumo do momento que viviam outras estrelas do futebol brasileiro quando retornaram da Europa:

Adriano - da Internazionale para o São Paulo, no começo de 2008; e da Internazionale para o Flamengo, no meio de 2009

Depois de entrar em depressão por conta da morte do pai e assumir problemas com álcool, o atacante perdeu espaço na equipe italiana e foi emprestado ao clube paulista por seis meses. Com 25 anos na época, conseguiu se recuperar fisicamente e voltou a ser chamado para a seleção brasileira. Novamente em boa fase, o “Imperador” retornou à Internazionale, mas voltou a ter problemas disciplinares e teve o contrato rescindido amigavelmente, podendo ser contratado sem custos pelo Flamengo. No clube carioca, mais uma vez voltou a brilhar e ser chamado para a seleção, mas às vésperas da Copa de 2010 novamente problemas de comportamento atrapalharam sua carreira.

AE
Na chegada de Ronaldo ao Corinthians, maior dificuldade financeira foi viabilizar pagamento dos salários do atacante
Ronaldo - do Milan para o Corinthians, no final de 2008

Na verdade, quando assinou com o Corinthians, o “Fenômeno” já não tinha mais vínculo com o Milan há alguns meses. Por isso, o clube paulista só precisou viabilizar o pagamento dos salários do atacante, o que foi feito basicamente com ações de marketing e parceria em patrocínios. Ronaldo tinha 32 na época, mas o excesso de peso, o histórico de cirurgias e a vida extra-campo já deixavam claro que sua carreira não poderia se estender por muitos anos. Enquanto esteve na equipe paulista, não foi cogitado na seleção brasileira nem voltou a despertar o interesse de grandes equipes europeias.

Roberto Carlos - do Fenerbahçe para o Corinthians, no final de 2009

Outro jogador cujos direitos não tiveram custos para o clube paulista. Chegou ao Corinthians já com 36 anos, com a expectativa de encerrar sua carreira no Parque São Jorge. Apesar da idade, as boas atuações no primeiro semestre de 2010 até fizeram com que ele fosse um dos nomes cotados para a lateral-esquerda na última Copa do Mundo, mas não teve nenhuma chance com Dunga. Depois da polêmica eliminação corintiana na Libertadores-2011 decidiu deixar o Corinthians e, sem espaço na elite europeia, se transferiu para o Anzhi Makhachkala, da Rússia.

Ronaldinho Gaúcho - do Milan para o Flamengo

O caso do camisa 10 talvez seja o que mais se aproxima do de Luis Fabiano. Com 30 anos, o meio-campista também sonha em - e tem condições de - voltar à seleção brasileira e disputar a Copa do Mundo de 2014. Ele também não chegou “de graça”, mas como a saída do Milan já estava definida, os R$ 17 milhões exigidos inicialmente pelo clube italiano acabaram caindo para cerca de R$ 6,5 milhões. Recuperando a forma física, também deve ter pelo menos mais quatro anos de futebol em alto nível. A principal diferença talvez seja a queda no interesse de grandes clubes do futebol europeu, mesmo antes do acerto com o Flamengo.

AE
Assim como Luis Fabiano, Ronaldinho não veio "de graça" e ainda sonha com seleção; mas interesse dos grandes da Europa havia caído mesmo antes da chegada ao Flamengo

Leia tudo sobre: são pauloluis fabianoronaldoronaldinhoadriano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG