Felipe Azevedo disse que o time precisa ter o mesmo espírito da Sul-Americana no Brasileirão

Nas últimas três partidas pelo Campeonato Brasileiro, o Ceará sofreu três derrotas, levou oito gols e não marcou nenhum. Em 12º lugar na competição nacional, com cinco pontos de distância para a zona do rebaixamento, o time nordestino encarou a estreia na Copa Sul-americana, contra o São Paulo, como uma decisão. Deu certo. O triunfo por 2 a 1, com um gol de Marcelo Nicácio aos 48 minutos do segundo tempo, serviu para recuperar os ânimos do time.

"Primeiro glorifico a Deus por mais um gol. Dedico à minha esposa, às minhas filhas. Foi uma vitória na raça. Nós passamos por momentos difíceis, tomamos pancadas, mas o Ceará mostrou que é forte", festejou o atacante, que entrou durante o segundo tempo para se tornar o herói da noite no estádio Presidente Vargas.

Felipe Azevedo, que ganhou a vaga no setor ofensivo depois de agradar no segundo tempo do duelo contra o Santos, domingo, pelo Brasileirão, acredita que o triunfo pode servir de inspiração para o Ceará.

"Sabíamos que seria difícil, porque o São Paulo é uma equipe muito qualificada. Um jogador deles foi expulso e isso ajudou, sempre é difícil contra equipe grande. Agora vamos tentar fazer assim no Campeonato Brasileiro", disse.

Para não ser eliminado logo em uma fase preliminar da competição, o Tricolor paulista precisa vencer por 1 a 0 ou por dois gols de diferença no dia 24, no Morumbi. Aos nordestinos, basta um empate ou até derrota por um gol de diferença, caso balance as redes por, ao menos, duas vezes. Novo 2 a 1 leva a decisão para os pênaltis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.