Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Virada espetacular mantém Fluminense vivo na Libertadores

Time reage depois de estar perdendo por duas vezes, deixa a lanterna do grupo e faz festa no Engenhão

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Foi uma quarta-feira de alívio e boas notícias. Após nove dias do pedido de demissão de técnico Muricy Ramalho, a diretoria do Fluminense anunciou o acerto verbal com o técnico Abel Braga e o time reencontrou o caminho da vitória. Sob o comando de Enderson Moreira, contratado para ser um auxiliar permanente, o atual campeão brasileiro venceu o América-MEX, por 3 a 2, numa virada espetacular, no Engenhão. O resultado, válido pela quarta rodada da fase de grupos da competição, manteve vivo o sonho de avançar às oitavas de final da Copa Libertadores.

O gol da vitória foi marcado por Deco, já aos 42 minutos da segunda etapa.

Tão importante quanto voltar a vencer foi impedir que o time mexicano, adversário direto na luta por uma vaga, somasse pontos. Com a primeira vitória na competição sul-americana, o Fluminense subiu para a terceira colocação do Grupo 3, com cinco pontos ganhos em quatro jogos disputados, e deixou a lanterna para o Nacional-URU, com quatro. O Argentinos Juniors é o líder, com sete, seguido do América-MEX, com seis.

O Fluminense, que só volta a jogar pela Libertadores dia 6 de abril, contra o Nacional, em Montevidéu, no Uruguai, terá mais uma “decisão” neste fim de semana. Desta vez pelo Campeonato Carioca. Na terceira colocação do Grupo B da Taça Rio, com sete pontos, o time tricolor precisa vencer o Vasco, no próximo domingo, às 18h30, no Engenhão, para seguir sonhando com o título estadual.

O jogo
Com Fred e Emerson juntos no ataque titular pela primeira vez desde a partida contra o Guarani, que valeu ao Fluminense o tricampeonato brasileiro, o time carioca foi pra cima do América. E logo, aos dois minutos, assustou o goleiro Navarrete. Emerson sofreu falta na entrada da área, que Souza cobrou com perigo.

Aos dez, outra boa oportunidade do Fluminense. Mariano recebeu de Conca e inverteu o jogo para Julio Cesar, o lateral rolou para Valencia que arriscou de fora da área assustando o substituto de Ochoa, titular da Seleção do México.

Mas quando a fase não é boa, tudo dá errado. Aos 14, Rojas deu um bico despretensioso para frente, a zaga tricolor bateu cabeça e a bola quicou na entrada da área, Ricardo Berna demorou para sair e se chocou com Digão, a bola sobrou para Sanchez, que fez 1 a 0. Os tricolores cercaram o árbitro Antonio Arias reclamando de falta, mas o paraguaio confirmou o gol.

Mas aos 20 minutos, o Fluminense deu o troco. Mariano cobrou lateral para Conca, o argentino cruzou da direita na cabeça de Gum, que só escorou na saída de Navarrete para deixar tudo igual no Engenhão. No ataque seguinte, o time carioca quase virou novamente com Gum. Mariano fez ótima jogada pela direita, foi à linha de fundo e cruzou, mas o zagueiro cabeceou para fora.

Aos 42, o Fluminense quase chega ao segundo. Digão levou a melhor na raça sobre o atacante mexicano e tocou para Julio Cesar. O lateral-esquerda puxou o ciontra-ataque e achou Souza livre, o meia avançou e chutou rasteiro para excelente defesa de Navarrete.

Nos acréscimos, foi a vez do América-MEX quase marcar. Depois de boa jogada do ataque mexicano, Montenegro recebeu livre de marcação na pequena área e chutou à queima roupa em cima de Ricardo Berna, que evitou a derrota tricolor no primeiro tempo.

No intervalo, os 13.158 tricolores que compareceram ao Engenhão continuaram empolgados e além de cantar algumas músicas impublicáveis, homenagearam o ex-treinador com os gritos de “ão, ão, ão, Muricy amarelão”.

O Fluminense voltou do vestiário no embalo dor seu torcedor. Com menos de um minuto, Fred recebeu de Julio Cesar dentro da área, entortou o zagueiro mexicano e chutou, mas a zaga do América aliviou o perigo. Aos sete, Mariano sentiu uma contusão e foi substituído por Deco, que não jogava desde a goleada de 6 a 2 sobre o Olaria, dia 23 de janeiro, pela Taça Guanabara.

Aos 27, no único lance de perigo do América-MEX, o desempate. Sanchez recebeu pela esquerda e cruzou errado, a bola encobriu Ricardo Berna e Digão, ao tentar tirar, colocou para dentro.
Aos 34, o Fluminense saiu do CTI e empatou. Deco, que fez excelente partida, recebeu pela direita, foi a linha de fundo e cruzou na cabeça de Araújo, que cabeceou no contrapé de Navarrete para deixar tudo igual novamente.

Aos 37, quase o campeão brasileiro chega ao terceiro. Após linda triangulação de Deco, Conca e Araújo, Fred recebeu na entrada da área e tocou por cima do gol de Navarrete, que ficou olhando e só torceu para a bola ir fora.

Aos 42, o gol da vitória e deixou o Fluminense mais vivo do que nunca na Libertadores. Depois de um rebatida na área do América, a zaga mexicana ficou olhando e Deco se antecipou ao lateral Layun e só tocou por cima de Navarrete, que nada pôde fazer.

Daí em diante, o time lembrou aquele de gurreiros que evitou o rebaixamento de 2009 e do tricampeonato de 2010 e se segurou como pôde.

FICHA TÉCNICA – FLUMINENSE 3 X 2 AMÉRICA-MEX

Local: Engenhão (RJ)
Data: 23 de março, nesta quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Antonio Arias (PAR)
Assistentes: Milcíades Salvídar (PAR) e Darío Gaona (PAR)
Renda: RS$ 536.765,00
Público: Pagante: 11.987 (Público presente: 13.158)

Cartões amarelos: Oliveira (AME), Gum (FLU), Rojas (AME), Fred (FLU), Pardo (AME)

Gols:
FLUMINENSE: Gum, aos 20 do primeiro tempo, Araújo, aos 34 do segundo tempo e Deco, aos 42 do segundo tempo
AMÉRICA-MEX: Sanchez, aos 14 do primeiro tempo, Digão (contra), aos 27 do segundo tempo

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano (Deco), Gum, Digão e Julio Cesar (Araújo); Valencia, Diguinho, Souza e Conca; Fred e Emerson (Rafael Moura).
Técnico: Enderson Moreira

AMÉRICA: Navarrete, Pardo, Rojas e Valenzuela; Layun, Rosinei (Daniel Marqués), Montenegro, Cervantes e Oliveira; Sánchez e Vuoso (Esqueda).
Técnico: Carlos Reynoso
 

Leia tudo sobre: FluminenseCopa Libertadores 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG