Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Victor aposta em experiência para ajudar Grêmio na Libertadores

Goleiro quer título que bateu na trave em 2009 na eliminação para o Cruzeiro

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

Se fosse possível eleger um jogador do Grêmio que mais merece ganhar a Libertadores este seria Victor. Referência técnica do time de Renato Gaúcho, ídolo da torcida e goleiro da Seleção, o camisa 1 busca a coroação da carreira individual quase perfeita com um título de expressão. O mesmo que bateu na trave em 2009.

Hector Werlang
Victor conhece os caminhos para o título da América

Dois anos depois da eliminação para o Cruzeiro na semifinal, Victor carrega na bagagem lições que podem fazer diferença dentro de campo. Ainda mais num torneio em que todo e qualquer detalhe significa uma ótima defesa ou uma falha imperdoável. A primeira é a experiência que será colocada a prova contra o Oriente Petrolero, na quinta-feira, a abertura do Grupo 2.

“Hoje tenho uma maior seqüência de jogos. Sei a hora de esfriar o jogo ou esquentá-lo. Isto é importante na Libertadores”, ensina Victor, 28 anos, em sua terceira participação no torneio sul-americano.

Perseverança é a segunda. No Grêmio desde 2008, o goleiro foi levantar a primeira taça apenas no ano passado: o Gauchão. Nada que o tenha conformado, afinal, não é só a torcida que está órfã de grandes conquistas – a última foi a Copa do Brasil, em 2001.

“Não é só o torcedor que vive de títulos. O jogador, também. Nos cobramos pela falta de conquistas”, admitiu.

A terceira e talvez a mais importante é a qualidade. Melhor goleiro do Brasileirão por dois anos seguidos, 2008 e 2009, Victor assumiu a vaga deixada por Danrlei (bicampeão da América em 1995) e, porque não, de Mazzaropi (campeão em 1983). Um título deste porte o ajudaria a firmar-se na Seleção sob o comando de Mano Menezes.

Mesmo não tendo sido convocado para o amistoso contra a França, o goleiro mantém o otimismo em continuar fazendo parte do grupo. Ele espera ser chamado para o jogo contra a Holanda, dia 4 de junho. Ele não se preocupa com a concorrência de Júlio César:

“Só serei lembrado se estiver no Grêmio”.
 

Leia tudo sobre: grêmiovictorcopa libertadores 2009

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG