Time catarinense está em má fase, mas o presidente João Nilson Zunino resolveu apostar na psicologia para salvá-lo do rebaixamento

Estacionado na vice-lanterna do Brasileirão faltando apenas 11 rodadas para o término da competição, o Avaí resolveu apostar na psicologia para motivar o elenco nesta reta final. Antes do último treino da equipe, os jogadores ouviram a psicóloga Tatiana Rotta por cerca de 40 minutos na Ressacada.

"Precisamos incentivar o Avaí a lutar até o último segundo. O nosso lugar é na Série A do Campeonato Brasileiro e é aqui que vamos permanecer", exaltou o presidente do clube, João Nilson Zunino.

Mas apenas palavras de apoio não têm bastado. Antes do jogo diante do Bahia, o grupo avaiano recebeu a torcida durante o treino, ouviu palestras de empresários, dirigentes do clube e até de um lutador, e ainda foram festejados por cerca de 50 torcedores no aeroporto, antes do embarque para Salvador. Não funcionou. Vencendo a partida até os 35 minutos da etapa final, o Leão levou dois gols em três minutos e deixou escapar a vitória.

Desta vez, porém, o Avaí espera que o resultado seja outro. A partida de domingo contra o Atlético-PR e vista como uma decisão, já que apenas cinco pontos separam as equipes na tabela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.