Gol do triunfo, que rendeu a ponta do grupo B, foi marcado por César González aos 16 minutos do segundo tempo

Um time que conquistou somente sua terceira vitória somando todas as participações na Copa América ocupa de forma isolada o primeiro lugar uma chave que conta com Brasil e Paraguai. A Venezuela venceu o Equador por 1 a 0, em Salta, e lidera o grupo B com quatro pontos, dois acima de brasileiros e paraguaios e três dos equatorianos.

O gol que aproxima os venezuelanos de sua segunda classificação consecutiva à segunda fase do principal torneio de seleções na América do Sul foi marcado por César González aos 16 minutos do segundo tempo.

O magro triunfo deste fim de semana dá à Venezuela a oportunidade de poder empatar com o Paraguai, às 19h15 (de Brasília) da próxima quarta-feira, para se garantir nas quartas de final. Ao Equador, resta buscar a vitória sobre a seleção brasileira no mesmo dia, às 21h45, para ter chances de classificação.

O jogo

Embora considerado o azarão da chave desde o início da Copa América, a Venezuela, que segurou o 0 a 0 com o Brasil em sua estreia, mostrou que também sabe jogar. No início do confronto, envolveu os equatorianos com movimentação na frente, contando com as participações de Arango e Maldonado.

O Equador, contudo, soube usar sua experiência e aplicação tática para evitar que a bola chegasse tantas vezes à sua defesa. Reforçou seu meio-campo, bloqueou os passes venezuelanos e não demorou para equilibrar o confronto e até terminar o primeiro tempo exercendo superioridade sobre o adversário.

Todas as oportunidades criadas antes do intervalo, contudo, não levaram tanto perigo a nenhum dos dois goleiros. Faltava a ambos os times mais eficiência para levar perigo nas finalizações ou escolher a hora certa de dar a assistência visando a abertura do placar.

O jeito de balançar as redes, então, era arriscando de longe. Foi o que fez César González. Aproveitando-se de uma envolvente troca de passes de sua seleção, o volante teve coragem para chutar com precisão da intermediária em direção ao ângulo direito do goleiro Elizaga, que só olhou a bola entrar em sua meta, sem se mexer.

O lance acordou o Equador, que parecia tentar dominar o rival para buscar o gol quando achasse. Atrás no placar, o time passou a apostar no improviso para tentar, ao menos, somar um ponto neste sábado. E quase fez um golaço em jogada individual de Caicedo, que deu poucos toques na bola para driblar quase a defesa toda da Venezuela, mas chutou fraco, nas mãos de Vega.

O lance, entretanto, foi algo raro entre os homens de frente do Equador. A equipe passou a levantar bolas de onde estivesse no campo na área adversária. A tática foi facilmente bloqueada pelos venezuelanos, que ainda tiveram inteligência para adiantar sua marcação e tocar a bola no campo equatoriano. Os três pontos estavam garantidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.