Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Venda de álcool nos estádios deve ser liberada a partir de março

Novo texto do projeto de lei altera estatuto do torcedor e irá permitir venda de bebidas alcoólicas em todo país

Paulo Passos, iG São Paulo |

Divulgação
O deputado federal Vicente Cândido costura os acordos do Governo com a Fifa
Se a aprovação da Lei Geral da Copa ocorrer no prazo estipulado pela Fifa e o pelo Governo Federal, a venda de bebidas alcoólicas em estádios brasileiros será liberada já em março. O novo texto do projeto de lei altera o Estatuto do Torcedor e permite a venda de álcool não só durante a Copa do Mundo, mas também em todas as partidas disputadas no país.

Atualmente, o consumo de bebidas é proibido, de acordo com o artigo 13 do Estatuto, que veda o porte de "bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”.

Leia ainda: Em dezembro, deputado disse que liberação do álcool era só para a Copa
O acordo para a liberação foi costurado na última semana entre o relator da Lei Geral da Copa, deputado Vicente Candido, o diretor de seleções da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Andrés Sanchez, e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Em dezembro, Padilha disse não concordar com a venda de álcool no estádios. “Sou totalmente contra”, afirmou.

A reportagem do iG entrou contato com a assessoria do Ministério da Saúde para comentar o caso, mas o ministro Alexandre Padilha não foi encontrado.

Corintiano, Padilha teria sido convencido, segundo Cândido, pelos argumentos do próprio deputado e do ex-presidente do seu clube de coração , Andrés Sanchez. “Não é justo você penalizar um setor da economia. A posição do Ministério da Saúde em dezembro penaliza o comerciante”, afirmou Vicente Cândido.

Veja também: Em visita a Itaquera, ministro defende verba pública em estádio

Para o Mundial já estava garantido que haveria venda de cerveja. Isso havia sido imposto pela Fifa, já que uma das patrocinadoras é a Budweiser. “Agora valerá para outros jogos também”, diz Cândido.

Gazeta Press
Andrés Sanchez fez ponte entre a CBF e o ministro da Saúde
Sobre a presença de Andrés Sanchez no encontro, o deputado afirmou que o diretor de seleções esteve “como cidadão, ex-presidente do Corinthians e amigo do ministro”. O cargo do cartola na CBF corresponde à gestão das seleções. É sabido, entretanto, que Andrés, filiado ao PT, atua nos bastidores como homem de confiança de Ricardo Teixeira, presidente da entidade.

Meia-entrada ainda em discussão
Se já dá como definido o impasse em relação à venda de bebidas alcoólicas nos estádios, Cândido admite que o governo e deputados ainda discutem a situação do direito à meia-entrada para idosos e estudantes. A Fifa quer um limite para ingressos promocionais, mas a presidente Dilma Rousseff já afirmou que o estatuto do idoso deverá ser respeitado.

Leia mais: Construtora completa 25% das obras do estádio corintiano

“Ainda precisamos acertar essa situação. Acho que nesta semana isso será resolvido”, afirmou Cândido. O deputado acredita que até março a Lei Geral da Copa será aprovada no congresso. O prazo é o mesmo dado pela Fifa e pelo Governo Federal.

Leia tudo sobre: Copa 2014CBFFifaAndrés SanchezCOL

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG