Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Vasco vence o Nacional em Montevidéu, mas não assegura 1ª posição

Diego Souza fez o único gol da partida. Apesar do resultado positivo, o Vasco ficou na segunda colocação do grupo

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

A noite desta quinta-feira foi de festa vascaína na Copa Libertadores. Depois de saborear a eliminação do Flamengo no Engenhão, o time dirigido por Cristóvão Borges venceu o Nacional-URU por 1 a 0, no Parque Central, em Montevidéu, devolvendo a derrota de 2 a 1.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O resultado, porém, assegurou o Vasco na segunda colocação no Grupo 5 da competição, com 13 pontos - o Libertad, do Paraguai, venceu o Alianza, em Lima, e ficou em primeiro lugar.

 

Desfalcado de Felipe, Juninho Pernambucano e Dedé, o Vasco não adotou uma postura retraída fora de casa. Ainda que sem o trio, o time que entrou em campo é de jogadores acostumados a partidas decisivas. Brigadora, a equipe cruzmaltina começou dominando as ações no meio-campo. Explorando a velocidade de Eder Luis e a movimentação de Fellipe Bastos e Diego Souza, o Vasco chegava com perigo à área do Nacional.

Numa dessas arrancadas, os uruguaios cometeram falta no ataque vascaíno. Fellipe Bastos cobrou, mas errou feio na pontaria. Pegou muito embaixo da bola e a isolou. O Nacional até rondava a área de Fernando Prass, mas sem assustar camisa 1 de São Januário.

Veja a classificação da Copa Libertadores

Diego Souza, que vem tendo atuações irregulares, decidiu jogar. O meia, em lance individual, deu um lençol e um marcador e jogou a bola entre as pernas de outro. A primeira chance de perigo saiu dos pés de Thiago Feltri. O lateral-esquerdo invadiu a área e, livre de marcação, fez o mais difícil: perder o gol. Sem a confiança para usar a perna direita, arriscou com o pé esquerdo, permitindo que o goleiro se esticasse para evitar o gol.

Na outra chance de perigo, quem chegou assustando foi o outro lateral, Fágner. O jogador arriscou um chute de muito longe, quase da risca do meio de campo. A bola, com efeito, quase enganou o goleiro, passando muito próxima ao Ângulo esquerdo de Jorge Bava. No mais, foi um primeiro tempo sem grandes emoções.

Leia mais: Juninho desabafa e admite chateação no Vasco

Uma cena chamou a atenção na volta do intervalo. A torcida do Vasco, depois de tomar conhecimento da traumática eliminação do rival Flamengo, no Engenhão, gritava sem parar “Adeus, Mengo”. Os jogadores, aliás, perguntaram quanto foi o jogo do rival do rubro-negro e a combinação de resultado do seu grupo, para saber se o Flamengo estava fora da competição.

Diego Souza recebeu um tratamento todo especial do fisioterapeuta Fernando Campbel. Sentindo incômodo na batata da perna esquerda, Campbel ficou cerca de três minutos massageando o camisa 10. Em campo, Diego retribuiu o mimo com um gol que mesclou talento e oportunismo.

Depois de tabelar com Eder Luis, ele partiu com a bola dominada e chutou da entrada da área. Bava defendeu, mas permitiu que ela passasse por baixo de seu corpo. Atento, Diego correu, antecipou-se a um marcador e empurrou para o gol vazio: 1 a 0, aos 11 minutos.

O jogo a partir daí ficou morno. Eder Luis e Bastos quase ampliaram, o goleiro do Nacional, bem colocado, evitou o segundo gol vascaíno.

FICHA TÉCNICA – NACIONAL-URU 0 x 1 VASCO
Local: Parque Central, em Montevidéu (URU)
Data: 12 de abril de 2012, quinta-feira
Horário: 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro: Pablo Lunati (ARG)
Auxiliares: Hernán Maidana (ARG) e Ernesto Uziga (ARG)
GOL
Vasco: Diego Souza, aos 11 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Pablo Álvarez, Alecsandro, Israel Damonte e Mathías Abero
NACIONAL: Jorge Bava; Rafael Garcia, Pablo Álvarez, Placente e Mathías Abero; Santiago Romero (Israel Damonte), Facundo Piriz, Maximiliano Calzada e Marcos Aguirre; Joaquín Boghossian (Vicente Sánchez) e Gonzalo Bueno
Técnico: Marcelo Gallardo
VASCO: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Rômulo, Fellipe Bastos, Eduardo Costa e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro (Wiliam Barbio)
Técnico: Cristóvão Borges
 

Leia tudo sobre: vascoCopa libertadores 2012cristóvãonacionaldiego souza

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG