Mesmo com derrota para o Coritiba no Couto Pereira, time carioca encerra década perdida de sua história

nullO Vasco acabou com um jejum de oito anos e conquistou um título de elite. Mesmo perdendo de virada por 3 a 2 para o Coritiba , no Couto Pereira, o time carioca finalmente leva para São Januário o cobiçado troféu de campeão da Copa do Brasil.

Depois de vencer a primeira partida em casa por 1 a 0 , a equipe comandada por Ricardo Gomes assustou o seu torcedor, mas a vantagem do gol marcado fora tira o clube da incômoda fila. O último triunfo na Primeira Divisão foi o Carioca de 2003. Em termos nacionais, o Vasco não obtinha uma conquista deste o Brasileirão de 2000, que teve o nome de Copa João Havelange. Em 2009, a equipe conquistou o Brasileirão da Série B.

Éder Luis marcou o gol de empate do Vasco
Fotocom
Éder Luis marcou o gol de empate do Vasco
O nome do jogo para o Vasco foi Éder Luís . Depois de desfalcar a equipe no primeiro jogo, o atacante era aguardado ansiosamente pelo técnico Ricardo Gomes. Sem ele, o time afunilava as jogadas e criava pouco pelas laterais. E os dois gols cruzmaltinos tivera a assinatura do camisa 7. No primeiro, deu passe limpo para Alecsandro. No segundo, contando com a sorte, arriscou de longe e contou com o morrinho artilheiro.

Os primeiros minutos foram de uma aguardada final. As duas equipes foram para o ataque. O Coritiba com um pouco mais de apetite, já que precisava da vitória. Mas foi o Vasco que assustou primeiro. Aos 4 minutos, Eder Luis invadiu a área e chutou na direção do gol. A bola bateu na rede pelo lado de fora.

Mas a resposta dos donos da casa veio aos n8, com Jonas, em cobrança de falta. O lateral acertou o canto direito de Fernando Prass, que esticou todo evitando o gol da equipe paranaense. O lance deu gás ao Coritiba, que passou a marcar o Vasco na sua intermediária. A pressão, no entanto, poderia resultar em contra-ataques.

E foi o que acabou acontecendo. Com Eder Luis de volta, o atacante deu uma ponta-direita, foi à linda de fundo e percebeu a presença de Alecsandro. O atacante, herói da primeira partida, teve só trabalho de empurrar para o gol e ampliar a vantagem vascaína: 1 a 0. Era tudo o que o técnico Ricardo Gomes queria: um gol na frente para obrigar o adversário a fazer três.

Na comemoração, no lugar da careta, o camisa 9 fez dois gestos: primeiro imitou o dedinho de Ronaldo, que na véspera se despediu do futebol, e depois exibiu a tatuagem no braço direito com o nome do filho, Yan.

O técnico Marcelo Oliveira foi para o tudo ou nada: trocou por Marcos Paulo por Leonardo. E deu resultado. Logo no primeiro ataque, Bill, de cabeça, escorou cruzamento de Jonas, da direita, e mandou para o fundo da rede. Restava ainda dois gols para o Coritiba, mas o gol acendeu o time e o jogo. Empurrado pela torcida, a equipe paranaense voltou a ter as ações da partida.

O Vasco apostava nas arrancadas de Eder Luis, mas nem sempre as jogadas pelo lado do campo resolviam. Por exemplo, pela esquerda, nem tudo funcionava com Ramon, que também voltava de lesão. O time pouco produziu pelo meio. Diego Souza quase não apareceu nos primeiros 45 minutos.

Enquanto isso, o apetite do Coritiba era grande. Aos 44, Davi ficou com a rebatida de Fernando Prass. E, no meio da área, tocou no alto, sem chances para o goleiro. Brilhava a ousadia de Marcelo Oliveira. Sorte do Vasco que não houve tempo para mais nada. O juiz encerrou a primeira etapa e no vestiário Ricardo Gomes pôde acalmar os jogadores, que naquele momento não acreditava no que acontecia.

Os dois times voltam sem alteração para a segunda etapa. E o Coritiba com o mesmo apetite. A defesa vascaína era pressionada a toda hora. O jogo chegou a feio, com jogadas faltosas e ameaçadas de expulsão. Mas, numa infelicidade de Edson Bastos, Eder Luis deixou tudo igual, aos 12 minutos. O atacante arriscou da intermediária, a bola desviou ao quicar no gramado e enganou o goleiro.

nullMas o Coritiba estava vivo no jogo. E, num lindo lance de William, de fora da área, acertou o ângulo de Fernando Prass. O jogo incendiou novamente. O Vasco contava os minutos para o tempo passar, e quando via o Coritiba em bloco passava da sua intermediária. Eltinho teve a chance do quarto gol, mas Anderson Martins tirou de carrinho.

Para conter o ímpeto do time paranaense, Ricardo Gomes trocou Felipe e Diego Souza por Jumar e Bernardo. O Coritiba seguiu pressionando até o último minuto.Mas, no fim, o título ficou mesmo com o Vasco.

FICHA TÉCNICA – CORITIBA 3 x 2 VASCO

Local
: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data :8 junho de 2011, quarta-feira
Horário : 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro : Sálvio Spínola (Fifa/SP)
Auxiliares : Alessandro Rocha de Matos (BA) e Emerson Augusto de Carvalho (SP)

GOLS:

Coritiba: Bill, aos 29 minutos do primeiro tempo; Davi, aos 44; William, aos 12 do segundo tempo
Vasco : Alecsandro, aos 12 minutos do primeiro tempo; e Eder Luis, aos 12

CARTÕES AMARELOS : Léo Gago, Bill (COR); Eduardo Costa, Felipe (VAS)

CORITIBA : Edson Bastos; Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes (Eltinho); Willian, Marcos Páulo (Leonardo), Léo Gago (Marcos Aurélio), Rafinha e Davi; Bill Técnico: Marcelo Oliveira

VASCO : Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Eduardo Costa, Rômulo, Felipe (Jumar) e Diego Souza (Bernardo); Alecsandro e Éder Luís Técnico : Ricardo Gomes

O técnico Ricardo Gomes conquista seu primeiro título de ponta no Brasil
Milton Trajano
O técnico Ricardo Gomes conquista seu primeiro título de ponta no Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.