"Todos sabem, mas eles conseguem fazer esta jogada. Anular é quase impossível", disse Ricardo Gomes

Fotocom
Treinador da equipe de São Januário mudou posicionamento da defesa para tentar frear jogo aéreo do Botafogo
Ricardo Gomes está ciente de que os cruzamentos na área em busca de Herrera e, principalmente, Loco Abreu são a principal arma do Botafogo para fazer seus gols. O técnico do Vasco , no entanto, se coloca ao lado de outros adversários e admite não saber como evitar a jogada no clássico deste domingo.

"Todos sabem que eles fazem esta jogada, mas eles conseguem fazer assim mesmo, exploram muito bem. É possível diminuir (a intensidade da jogada), mas anular é quase um possível", declarou o treinador, revelando a única alternativa que encontrou. "Mudei um pouco o posicionamento para buscar mais estabilidade defensiva."

Embora admita a previsibilidade das tentativas ofensivas de seu adversário, o comandante vascaíno reforça o respeito ao time de Joel Santana. Não só por ser líder do grupo B da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca - o Vasco está em segundo no grupo A -, mas também pelo retrospecto da equipe, atual campeã estadual e que quase conseguiu uma vaga na Libertadores pelo Brasileirão.

"Não considero o Botafogo um time defensivo. É um time que sai rápido ao contra-atacar, saem para atacar o tempo todo, tem jogadores que levam perigo na frente. E times defensivos não saem para atacar nunca", defendeu Ricardo Gomes, certo de que, respeito à parte, o clássico será um teste de seu trabalho.

"O importante para nós é dar continuidade, e precisamos de vitórias nos clássicos. Somente nestas partidas podemos tirar medidas verdadeiras tanto no desempenho coletivo quanto no individual", analisou o treinador, que não estava no clube no único clássico disputado neste ano - derrota para o Flamengo no primeiro turno do Estadual.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.