Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Vasco fica no empate com o ABC em Natal

Motivado por declaração de vascaíno, time potiguar cria as principais chances. Vaga será decidida no Rio

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Não foi o resultado que o torcedor esperava. Jogando na noite desta quarta-feira, no Frasqueirão, em Natal, o Vasco ficou no 0 a 0 com o ABC pela Copa do Brasil. Para quem imaginou que o time carioca fosse voltar para o Rio com a vitória por dois gols de diferença e a classificação assegurada, o resultado foi uma ducha de água fria. Menos mal que a vaga será decidida em São Januário, dia 6. Mas o Vasco, além de não fazer uma bela partida, levou sufoco do adversário.

Se na véspera a torcida lotou o estádio para prestigiar os jogadores, a realidade foi outra quando a bola rolou. Tudo por causa das declarações de Dedé. O zagueiro disse desconhecer o adversário desta noite. E mais: prometeu não tomar conhecimento dos donos da casa e atropelar o ABC para garantir logo a classificação.

A imprensa local estampou as frases do jogador nas manchetes dos jornais, que, por sinal, foram parar no vestiário. Além da torcida, furiosa, os jogadores do ABC entraram em campo “mordidos”. Sem imaginar a repercussão da entrevista, Dedé deu armas ao adversário.

Futura Press
O atacante Alecsandro sobe alto para tentar fugir da marcação do ABC

O ABC não se comportou como time pequeno. Fez um primeiro tempo de igual para igual contra os visitantes. A primeira chance criada saiu dos pés do atacante Leandrão. O atacante fuzilou de dentro de área, mas sem pontaria. O jogador se declarou o mais incomodado com as declarações do zagueiro vascaíno.

Talvez pela sua passagem pelo futebol carioca – defendeu o Botafogo -, levou a sério a rivalidade dentro de campo. Mas, se o ABC tinha um atacante furioso, o Vasco tinha um atacante estreante, preocupado apenas em estrear bem.

Era a primeira partida do camisa 9 de São Januário como titular. E, aos 17 minutos, após passe de Diego Souza, ele se livrou na marcação da defesa e chutou cruzado. A bola saiu à direita do goleiro. O Vasco não conseguiu ligar com facilidade o meio de campo com o ataque. Sendo assim, sempre que podiam, Bernardo e Alecsandro arriscavam de média e longa distâncias.

O ABC percebeu que o Vasco passou a respeitá-lo. E, empurrado pela torcida, pressionou o time carioca em seu campo a partir da metade do primeiro tempo. Aos 30, após toque de bola envolvente, Éderson chutou da intermediária assustando Fernando Prass.

A pressão, no entanto, não parou por aí. Pio, em dois lances, aos 40 e 42, chutou cheio de efeito, de fora da área. No primeiro lance, Prass fez golpe de vista e quase foi surpreendido. No segundo, o goleiro vascaíno chegou atrasado. Para a sua sorte, a bola morreu na rede pelo lado de fora.

Os times voltaram sem alteração para a segunda etapa. E o panorama foi o mesmo: o ABC em cima do Vasco, buscando o gol a todo custo. Pio, novamente de fora da área, levou perigo ao gol de Prass. Desta vez, porém, a bola ganhou efeito no meio do gol. O goleiro tentou segurar e acabou se enrolando, sendo a obrigado a mandar para escanteio.

Aos 18, o Vasco teve a chance mais clara de gol até então. O meia Allan, improvisado na lateral direita, entrou na área e chutou cruzado. A bola passou muito perto da trave direita do goleiro. No Vasco, Bernardo não repetiu as boas atuações. Sem Felipe, Diego Souza, atuando no meio, também não criou como o esperado.

Fernando Prass foi preciso ao sair nos pés de Ray, aos 28, quando o jogador, livre, teve – esta, sim – a melhor oportunidade. Na base do chutão, o Vasco tentava, mas sem sucesso, chegar à área adversária. Já os donos da casa apareciam com facilidade. O técnico do ABC, Leandro Campos, promoveu três alterações. A vitória não veio, mas ficou o gostinho de levar a decisão para o Rio.

FICHA TÉCNICA – ABC 0 x 0 VASCO

Local: Estádio Frasqueirão, Natal (RN)
Data: 30 de março de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro: João Bosco Satiro da Nóbrega
Auxiliares: Griselildo de Souza Dantas e Luís Filipe Gonçalves Correa

CARTÕES AMARELOS:

Bileu, Rômulo e Márcio Careca

ABC: Wellington; Irineu, Tiago Garça, Renatinho (Renato Potiguar) e Pio; Basílio, Bileu, Cascata (Gabriel) e Reinaldo; Ederson (Ray) e Leandrão
Técnico: Leandro Campos

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca; Eduardo Costa (Felipe Bastos), Rômulo, Bernardo (Enrico) e Diego Souza; Alecsandro (Elton) e Eder Luis
Técnico: Ricardo Gomes

Leia tudo sobre: vascoabccopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG