Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Vasco enfrenta o Náutico nos Aflitos esperando clima de guerra

Time evitou provocar o adversário e avisa que vai explorar os contra-ataques para tentar marcar fora

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Quando a bola rolar, às 21h50, nos Aflitos, em Recife, o clima será de guerra. Pelo menos este é o sentimento dos jogadores do Vasco neste primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. Esperando um estádio lotado, a ordem é não aceitar a provocação adversária e jogar com inteligência. Nada de afobação. Na base da retranca, aproveitando os contra-ataques, a expectativa é de um golzinho de fora de casa. O jogo de volta é dia 27.

Os cuidados com este jogo foram tomadas já no começo da semana. Após a vitória sobre a Cabofriense, sábado, pela Taça Rio, as perguntas sobre Copa do Brasil foram repetidas à exaustão. O objetivo era evitar o mal-estar como o da partida contra o ABC, em Natal. E isso pôde ser visto logo na coletiva de Dedé, pivô de uma enorme polêmica ao declarar que desconhecia o adversário da fase anterior. Desta vez, o zagueiro, orientado, foi só elogio aos nordestinos, ao palco do jogo e ao Náutico.

Fotocom
Desta vez, Dedé não provocou os jogadores e a torcida do Náutico


“Sabemos que se trata de uma grande equipe, com jogadores de qualidade e que sempre complica quando atua em casa. Mas nosso time tem que jogar com tranquilidade, esperando os momentos certos”, disse um polido Dedé.

O restante do grupo fez coro com o zagueiro. Ninguém quis comprar briga antes da hora. Até porque, todos sabem que, como a obrigação da vitória é do Náutico, jogar retraído explorando o nervosismo adversário será a maneira mais adequada para o Vasco. Se não vencer, voltar com um golzinho marcado fora será de bom tamanho. Na Copa do Brasil, o gol fora vale dois no critério de desempate.

“Não adianta ir para cima achando que vai jogar de igual para igual. Aí você leva dois gols e quando jogar em casa vai bater aquele nervosismo e...”, alertou Diego Souza. “É jogar com calma e tentar beliscar um golzinho fora”, completou o camisa 10 de São Januário.

O meia volta ao time. Sábado, desfalcou a equipe por causa do terceiro cartão amarelo. O tempo parado, no entanto, serviu para Diego se recuperar dos pontos sofridos no pé direito. A partir de agora, sem dores, ele acredita que vá render mais.

O time checou à capital pernambucana na noite de segunda-feira. Na terça, treinou na Ilha de Retiro, campo do rival Sport. O técnico Ricardo Gomes lamentou o fato de não ter feito o reconhecimento do gramado do palco do jogo.

FICHA TÉCNICA – NÁUTICO x VASCO
Local:
Estádio dos Aflitos, Recife (PE)
Data: 13 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro: Célio Amorim (RJ)SC
Auxiliares: Thiago Gomes Brigido (CE) e Rosineu Boffman Scherer (SC)

NÁUTICO: Douglas; Derley, Walter, Wescley e Airton; Éverton, Elicarlos e Eduardo Ramos; Kieza; Bruno Meneghel e Ricardo Xavier
Técnico: Roberto Fernandes

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Rômulo, Fellipe Bastos, Bernardo e Felipe; Alecsandro e Eder Luis
Técnico: Ricardo Gomes

Leia tudo sobre: vasconáuticocopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG