Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Vasco enfrenta o Madureira atrás de boa campanha na Taça Rio

Time tem mudança na defesa. Ricardo Gomes está animado com meio-campo versátil e ataque goleador

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

O jogo com o Madureira, na tarde deste domingo, às 16h, em Volta Redonda, será um teste para Ricardo Gomes. Depois de sofrer seis gols em três partidas para equipes consideradas pequenas, o técnico do Vasco mudou a defesa. Com três pontos na Taça Rio, o time entra na terceira rodada com Cesinha no lugar de Anderson Martins e muitas lições na cabeça. A maior delas: atenção.
“Os gols, na maneira como aconteceram, me preocupam, sim. Estamos atentos a isso. Será uma repetição diária”, destacou Ricardo Gomes.
O Vasco estreou com derrota para o Macaé (3 a 1) no segundo turno do Campeonato Carioca. Na sequência, derrotou o Duque de Caxias (4 a 2). Para evitar comparações com a campanha da Taça Guanabara, nada como a vitória seguida de uma defesa segura. Além das duas equipes que enfrentou na Taça Rio, o time antes havia vencido o Comercial-MS (6 a 1), pela Copa do Brasil. Os gols sofridos, na maior parte das vezes, foram por desatenção.
“Contra o Macaé, o time começou bem, mas na metade do segundo tempo houve um cochilo e sofremos dois gols. Foi uma coisa atípica”, comentou o lateral-direito Fágner. Para evitar novas falhas, Ricardo Gomes dedicou um tempo especial esta semana para o setor defensivo. Na sexta-feira, acabou optando por Cesinha ao lado de Dedé na zaga. Por falar em defesa, há outra mudança. Esta, porém, não é de ordem técnica. Ramon, titular da lateral esquerda, volta após suspensão.
No meio de campo, a expectativa é por uma nova atuação em alto nível de Bernardo. O meia ganhou a posição de Jeferson na segunda rodada e foi o nome do jogo contra o Duque de Caxias. Além do gol de pênalti, que ele mesmo sofreu, o jogador deu passe para o de Anderson Martins, driblou, lançou e mostrou muita habilidade.
Saiu no intervalo, alegando indisposição estomacal. Coincidência ou não, o rendimento da equipe caiu. Gomes, por sua vez, prefere ainda não criar rótulo de salvador da pátria no jogador. Admirador do futebol do apoiador, emprestado pelo Cruzeiro, o treinador pede calma.
“Acho cedo criarmos algo semelhante a uma dependência do time a ele. Bernardo foi muito bem, mas jogou só 45 minutos. Trata-se de um grande jogador, mas precisamos de mais tempo”, frisou Ricardo Gomes.
O ataque será o mesmo da última partida. Elton, agora sem a concorrência de Marcel – insatisfeito com a barração, pediu rescisão de contrato -, será companheiro de Eder Luis. Leandro, a exemplo de quarta-feira, ficará no banco de reservas, com a garantia de que entrará na segunda etapa. Gomes acredita no poder de fogo dos jogadores de frente.
Mas nada disso – defesa sólida, meio-campo versátil e ataque goleador – valerá se o Vasco não se classificar no segundo turno. O fiasco da Taça Guanabara não pode se repetir na Taça Rio.
“Conseguimos nos recuperar na tabela, mas precisamos dar continuidade ao trabalho. Não adianta nada se recuperar e não se classificar. Vamos enfrentar o Madureira e precisamos controlar a partida para sair com a vitória”.

FICHA TÉCNICA – MADUREIRA x VASCO

Local: Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda

Data: 13 de março de 2011, domingo
Horário: 16h (Horário de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Diogo Carvalho Silva)
MADUREIRA: Cleber; Valdir, Luiz Otávio, Gomes e Zeca; Vinicius, Caio Cezar, Rodrigo e Michel; Baiano e Adriano Magrão.
Técnico: Antônio Carlos Roy
VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Cesinha e Ramon; Eduardo Costa, Rômulo, Felipe e Bernardo; Eder Luis e Elton.
Técnico: Ricardo Gomes
 

Leia tudo sobre: vascomadureira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG