Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Vasco em nova era sob a batuta do paizão Ricardo Gomes

Técnico comanda time pela primeira vez, contra o Americano, apostando na psicologia para reanimar jogadores

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

No futebol, quando o resultado de campo deflagra a falta de confiança de um elenco, nada como velhos clichês para tentar reavivar os jogadores. A partir das 17h deste domingo, o Vasco, sob a batuta de Ricardo Gomes, tentará mudar um quadro instável na Taça Guanabara para sair do CTI e, quem sabe, receber alta no segundo turno. De técnico novo, o time sonha com a primeira vitória no Campeonato Carioca. O palco, São Januário; o adversário, o Americano.

Com apenas um ponto em cinco rodadas, o time da Colina, lanterna do seu grupo, inicia a era Ricardo Gomes apostando que o estilo paizão do novo comandante possa ajudar a equipe a ter dias melhores. Zagueiro de futebol refinado nos anos 80 e 90, o treinador empresta seu estilo elegante em uma nova roupagem cruzmaltina.

Fotocom
Ricardo Gomes fará sua estreia pelo Vasco
O trabalho de campo, efetivamente, começa neste domingo. Mas desde quarta-feira, quando foi apresentado em São Januário, ele vem implementando sua psicologia. No dia seguinte, por exemplo, após o empate em 0 a 0 com o Volta Redonda, lá foi ele, de jogador em jogador, soprar no pé do ouvido virtudes apresentadas na partida.

Antes mesmo de assumir, pediu a reintegração de Felipe e Carlos Alberto. No treino desta sexta-feira, na base do improviso e com a ajuda de seus novos auxiliares, incentivou cada atleta nominalmente. O grupo já reage com mais entusiasmo. Gomes nota uma mudança de atitude. E não foge dos clichês na hora do incentivar.

“A parte técnica não chega sem confiança. Duvidou, a coisa emperra”, disse Ricardo Gomes.

O treinador trabalhou na cabeça dos jogadores a reação no segundo tempo da derrota de 2 a 1 para o Flamengo e o empate de quinta-feira. Na opinião de Ricardo Gomes, o grupo já deu outra resposta se comparado aos primeiros jogos da Taça Guanabara – foram quatro derrotas seguidas, o pior começo de competição na história do clube.

“Mesmo com o empate, já houve melhora no time. Quero eles sem peso nenhum nas costas. O jogador pode errar, não pode se esconder”, comentou o treinador.

Não bastasse a reintegração de Felipe, o técnico faz questão de contar com o meia contra o Americano. Mesmo sem treinar em dez dias, o jogador foi relacionado para a partida. Fica no banco, será aproveitado apenas 20 minutos, mas recebeu do treinador apoio depois da punição da diretoria. Gomes e Felipe conversaram nesta sexta-feira, o treinador ouviu do camisa 6 que manteve a forma física apenas com corridas na praia. Ainda assim, para motivá-lo, o novo comandante vai mandá-lo a campo.

“Felipe é um jogador de muita técnica, de muita motivação. É isso que queremos dele aqui no Vasco”.

O estilo psicológo vem dando resultado. O zagueiro Dedé foi só elogios ao técnico.

“Ele sabe motivar o grupo. Depois da partida contra o Volta Redonda, ele chegou no vestiário parabenizando cada jogador”, revelou o zagueiro.

FICHA TÉCNICA – VASCO x AMERICANO

Local: São Januário, no Rio de Janeiro
Data: 6 de fevereiro de 2011, domingo
Horário: 17h (Horário de Brasília)
Árbitro: Pathrice Maia (RJ)
Assistentes: Ricardo Nogueira da Silva e Ralph Coutinho Carneiro (ambos do RJ)
VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Eduardo Costa, Romulo, Jeferson e Caíque; Eder Luis e Marcel. Técnico: Gaúcho

AMERICANO: Jefferson, Elson, Ruan, Jefferson Capixaba; Catatau, Renan, Ayrton, Wellington, Felipe; Diego e Gustavinho. Técnico: Paulo Marcos.

Leia tudo sobre: VascoRicardo GomesAmericano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG