Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Vasco bate o Náutico e fica perto das quartas da Copa do Brasil

Time faz 3 a 0 nos Aflitos e pode perder por dois gols de diferença, dia 27, no Rio, para se classificar

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

No dia do aniversário de 57 anos do presidente Roberto Dinamite, o Vasco conseguiu um excelente resultado, em Recife, contra o Náutico. A vitória de 3 a 0 nos Aflitos, na noite desta quarta-feira, dá tranquilidade ao time de Ricardo Gomes para decidir em São Januário, dia 27, a classificação para as quartas de final de Copa do Brasil. Os gols foram marcados por DedéAlecsandro e Bernardo. Para passar de fase, o cruzmaltino pode até perder por dois gols de diferença. 

As atenções, agora, estão voltadas para a Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Domingo, o Vasco, líder do Grupo A, com 16 pontos, enfrenta o Olaria, em Macaé, na última rodada.

O jogo
Houve respeito em excesso ao Náutico nos momentos que antecederam a partida. A tática era não aceitar a provocação da torcida e esperar o adversário no seu campo. Os donos da casa logo mostraram o cartão de visitas. No primeiro minuto, o goleiro Fernando Prass fez difícil defesa em uma cabeçada de Bruno Meneghel.

Mas o time pernambucano não assustou tanto quanto se imaginou. Tudo não passou de susto. Tanto que as principais oportunidades a partir daí foram do Vasco. Aos 6, após tabela entre Eder Luis e Allan, o volante improvisado de lateral-direito teve a chance de marcar, mas foi desarmado pela defesa.

AE
Dedé abriu o caminho para boa vitória do Vasco

O jogo passou a ficar aberto. E no mano a mano, prevaleceu a qualidade vascaína. Com toque de bola e passes envolventes, a bola não saía do campo adversário. Aos 11, o zagueiro Dedé, de cabeça, carimbou a trave de Douglas. Foi o ensaio do que o Vasco faria nas investidas seguintes.

Em dois lances parecidos, Eder Luis e Diego Souza receberam na entrada da área, mas desperdiçaram os chutes, isolando. Diego teve nova oportunidade. Desta vez, sozinho com o goleiro: depois de invadir a área e ficar em condições de marcar, o camisa 10 finaliza nos pés de Douglas, que teve o mérito de fechar o ângulo do meia cruzmaltino.

A superioridade vascaína era tanta que na metade do primeiro tempo o time carioca tinha finalizado oito vezes, contra duas dos donos da casa. O próximo a perder a chance de abrir a contagem para o Vasco foi Alecsandro, que recebeu Ramon um belo passe rasteiro de Ramon, mas chegou atrasado.

Ficou uma lição: se os atacantes não marcavam, o gol seria de um zagueiro. Foi o que aconteceu aos 33. Diego Souza cobrou escanteio da esquerda, Dedé saiu de trás, subiu mais que os defensores do Náutico e, de cabeça, mandou para o fundo da rede. A bola tocou no travessão antes de entrar: 1 a 0.

Por pouco, um outro jogador de defesa não marca o segundo. O lateral-esquerdo Ramon faz fila pela esquerda, se livrou de um zagueiro e tocou por cima do goleiro. Quase em cima da linha, Walter salva e manda a escanteio.

No segundo tempo, o Vasco manteve o ritmo. Só que Alecsandro quis provar que atacante sabe fazer gol, sim. E numa bela jogada de Eder Luis pela direita de ataque, o camisa 7 foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para a conclusão do artilheiro: 2 a 0. Foi o quarto de Alecsandro em menos de um mês de Vasco e apenas quatro jogos como titular.

O Náutico não esperava um gol assim tão rápido na volta do intervalo. Na base do atropelo, quis ir ao ataque desesperadamente. O Vasco, com o resultado a seu favor, fechou um pouco mais no seu campo de defesa e passou a explorar os contra-ataques. Ricardo Gomes queria jogo. Como de costume, mandou a campo o meia Bernardo, no lugar de Eder Luis. Depois, trocou Alecsandro por Leandro.

Se a vitória estava praticamente assegurada, Bernardo e Leandro queriam deixar o seu. O primeiro quase marcou um golaço, mas pecou na finalização e isolou. Leandro, jogando pelos lados do campo, abria espaço. Numa arrancada pela direita, aos 40, forçou a falta de Élton, que cometeu a falta a acabou expulso, pois já tinha levado o amarelo.

Com um jogador a mais, ficou mais fácil administrar o resultado. Mas o Vasco, ou melhor, Bernardo, queria deixar a sua marca. No último lance do jogo, aos 47, em cobrança de falta, ele acertou o ângulo direito do goleiro: 3 a 0.

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 0 x 3 VASCO

Local: Estádio dos Aflitos, Recife (PE)
Data: 13 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro: Célio Amorim (RJ)SC
Auxiliares: Thiago Gomes Brigido (CE) e Rosineu Boffman Scherer (SC)

CARTÕES AMARELOS: Walter, Elicarlos, Élton (NAU); Rômulo, Alecsandro (VAS)
CARTÃO VERMELHO: Élton (NAU)

GOLS
VASCO: Dedé, aos 33 minutos do primeiro tempo; Alecsandro, aos 6, E Bernardo, aos 47 do segunto tempo.

NÁUTICO: Douglas; Derley, Walter, Wescley e Airton; Éverton, Elicarlos (Willian) e Eduardo Ramos; Kieza (Élton); Bruno Meneghel e Ricardo Xavier. Técnico: Roberto Fernandes

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Rômulo, Fellipe Bastos, Felipe (Jumar) e Diego Souza; Alecsandro (Leandro) e Eder Luis (Bernardo). Técnico: Ricardo Gomes

Leia tudo sobre: vasconáuticocopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG