Volante que levou voadora na Taça BH defende o goleiro: "Ele pode estar com problemas pessoais"

Vítima da covardia do ex-goleiro Gustavo, do Sport, durante jogo da Taça BH , Elivelton, do Vasco, conversou com o iG, por telefone, e surpreendentemente pedoou o agressor. Na manhã desta terça-feira, o volante cruzmaltino foi submetido a uma tomografia na qual ficou constatada apenas um trauma na cervical, afastando a possibilidade de fratura. Refeito do susto, Elivelton chamou a atenção ao procurar entender a atitude do adversário, a quem absolveu menos de 24 depois da violenta cena.

Siga o iG Vasco no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

null“Eu lhe dou o perdão. Ninguém sabe o que se passou na cabeça dele. De repente, ele está atravessando momento complicado na vida. Não sei...Mas eu o perdoo”, disse Elivelton, que à tarde realizará exames de ressonância apenas por precaução. A comissão técnica dos juniores do Vasco afirmou que o jogador vai permanecer em Minas Gerais para a disputa do torneio. O volante pode voltar ao treino ainda nesta quarta-feira.

Entre para a Torcida Virtual do Vasco e convide seus amigos

Elivelton foi agredido por trás, levando voadora do goleiro Gustavo num lance em que estava de costas para o adversário,desabando no gramado. O time pernambucano anunciou rapidamente o afastamento do agressor, que deixou o campo sem dar entrevistas. Levado para o hospital, Elivelton foi recobrando a memória e custou a se dar conta do ocorrido. Quando viu as imagens pela televisão, temeu o pior.

"Eu estava tranquilo. Mas temi o pior quando vi a cena. Foi uma cena forte, que chocou a todos. Pensei que tivesse acabado de sofrer uma fratura séria, que fosse parar com o futebol", revela o volante vascaíno.

Ainda no hospital, ele telefonou para os pais e tranquilizou amigos e parentes. À noite, soube que Gustavo fora expulso do Sport. Apesar de perdoar o agressor, reconhece que a punição do presidente do clube pernambucano servirá de exemplo.

"(A expulsão do goleiro) é bom para evitar que outros atletas façam o mesmo e machuquem ou encerrem a carreira de um colega. Felizmente, estou bem. Mas poderia ter sofrido sequelas maiores", comentou o volante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.