Tamanho do texto

Técnico relembrou o tempo em que o time do ABC Paulista foi vice-campeão brasileiro e da Libertadores

O técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, que assumiu recentemente o comando do São Caetano , quer ajudar o clube a restabelecer a força que possuía no início da década passada. Na época, o time foi duas vezes vice-campeão do Campeonato Brasileiro, em 2000 e 2001, chegou à final da Copa Libertadores da América, em 2002, foi Campeão Paulista, em 2004, e conseguia lotar o estádio Anacleto Campanella.

Hoje, na Série B, o São Caetano possui a pior média de público jogando em casa. Para retomar os anos áureos do clube do ABC paulista, Vadão acredita que a construção de uma nova identidade entre jogadores, clube e torcida seja a solução.

"Essa identidade é do jogador com o clube. Naquela época, o Jair Picerni (ex-técnico) contava com jogadores desconhecidos, humildes, que tinham quatro, cinco anos de contrato e criaram um vínculo com o clube. Assim vieram todas aquelas conquistas", declarou o treinador ao Jornal "Diário do Grande ABC" .

O fator financeiro é um dos empecilhos, mas, de acordo com o treinador, o foco no grande objetivo do São Caetano na temporada, o retorno à elite do futebol brasileiro, deve ser a principal ligação entre o clube e a torcida.

"A rotatividade hoje é muito grande. O São Caetano não tem o orçamento de time grande da época em que foi campeão paulista. Quando não se tem o lado financeiro, é preciso ter um elenco identificado com os planos, como é o nosso agora, de voltar à Série A", afirmou.

Vadão permanece com a equipe do São Caetano na cidade de Águas de Lindóia, onde realiza atividades visando a sequência da Série B. Com 13 pontos conquistados, o Azulão ocupa a 14ª posição e enfrenta, na próxima sexta-feira, o Grêmio Barueri, em casa, pela 12ª rodada.