Primeiro jogo da final da Libertadores contra o Santos, no Uruguai, terminou com um empate sem gols

A imprensa uruguaia mostrou nesta quinta-feira certo otimismo para o jogo no estádio Pacaembu, apesar do empate em 0 a 0 do Peñarol contra o Santos, na partida de ida da final da Taça Libertadores, em Montevidéu.

Para o jornal "El Observador", o Peñarol "obteve nesta quarta um bom resultado", mas "a igualdade favorece os brasileiros, que esperarão com calma a partida final". A seção esportiva do diário abre com o título "Agora falta a façanha", acompanhada da imagem do treinador Diego Aguirre com os dentes acirrados, se queixando com o assistente pelo gol anulado.

Na crônica do duelo, a publicação admite que os jogadores do Peñarol "não jogaram bem e deixaram passar a oportunidade de ir para o Brasil com um triunfo".

Sobre o Santos, destaca-se que Neymar "passou a noite toda simulando e não conseguiu brilhar no estádio Centenario".

De acordo com o jornal "El País", o "Santos jogou como um perfeito visitante e conseguiu um bom negócio, o que não quer dizer que o assunto esteja totalmente selado". Segundo o periódico "Ultimas Noticias", os brasileiros "não são invencíveis" e o "Peñarol mostrou nesta quarta-feira que o Santos não é uma equipe que deve ser temida".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.