Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Uruguai se inspira na Colômbia para tenter superar o Chile

Sul-americano com melhor campanha na última Copa prefere se manter como azarão contra o time de Valdivia

Gazeta |

Sul-americano com melhor campanha na última Copa do Mundo, o Uruguai de Forlán, considerado o craque do Mundial na África do Sul, nunca quis se colocar como favorito na Copa América. E prova isso com a sua inspiração: a Colômbia, que dominou a anfitriã Argentina e empatou por 0 a 0. É assim que o time quer jogar contra o Chile, às 19h15 (de Brasília) desta sexta-feira, em Mendoza.

"Gostei muito da Colômbia contra a Argentina. Dominou o jogo, pressionou plenamente e sem deixar espaços. Defendeu muito e também criou muitas situações", elogiou o técnico Oscar Tabárez, demonstrando não ter nenhuma vergonha de usar um azarão na competição como modelo. E se aplica bem no duelo contra a única equipe que já venceu do grupo C.

A estratégia de minimizar o poderio uruguaio é adotada pelo treinador desde antes do torneio. Até por isso, a seleção crê não sofrer pressão pelo empate com o Peru na estreia. É considerando o Chile, que deve ter o palmeirense Valdivia entre os titulares, como favorito que o comandante pretende repetir o sucesso que teve na África.

Em campo, ele promoverá mudanças. Na zaga, Victorino, do Cruzeiro, deixa de fazer parceria com Lugano, que passa a atuar ao lado de Coates, pretendido pelo São Paulo. No meio-campo, Álvaro Pereira ganhou a posição de Lodeiro na tentativa de facilitar o trabalho de Forlán, incumbido de levar a bola com qualidade para Cavani, Suarez ou ele mesmo finalizarem.

A meta é vencer, não encantar, para chegar a quatro pontos no grupo C e se aproximar da classificação. Agradar na fase de grupos não é uma preocupação de Tabárez. "Na Copa do Mundo de 2006, a Suíça terminou em primeiro de seu grupo. E depois?", lembrou o técnico, falando da seleção que deixou aquele Mundial sem sofrer gols, mas perdeu na segunda fase para a Ucrânia nos pênaltis. "A verdadeira Copa América começa nas quartas de final. O objetivo inicial é se classificar", defendeu.O Chile, por sua vez, quer convencer para ganhar motivação. O time venceu na estreia, mas teve dificuldades para alcançar a virada por 2 a 1 sobre o desfalcado México. A solução encontrada pelo técnico Claudio Borghi, conhecido na Argentina por já ter treinado o Boca Juniors, é a entrada de Valdivia, aparentemente, enfim, livre de dores musculares.

"Era importante ganharmos desta forma para que se deem conta de que estes jogadores podem jogar em qualquer lugar exatamente igual. Mas não foi em 100% a seleção que todos queremos", disse Borghi. "O jogo será uma grande prova. O Uruguai jamais pode ser dado como morto. Temos que ter cuidado", indicou.

Os chilenos precisam dos três pontos não só para manter a liderança da chave, mas já garantir a classificação antecipada para as quartas de final. Tarefa que, mesmo com a entrada de Valdivia, passa principalmente pelos pés do atacante Alexis Sanchéz. "É um jogador extraordinário, mas sua vida está complicada porque todos esperam que faça maravilhas em campo", tentou minimizar o técnico Claudio Borghi.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI X CHILE

Local: Estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza (Argentina)
Data: 8 de julho de 2011, sexta-feira
Horário 19h15 (Brasília)
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)
Assistentes: Nicolas Yegros (Paraguai) e Efrain Castro (Bolívia)

URUGUAI: Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Coates e Martín Cáceres; Diego Pérez, Arévalo Rios e Álvaro Pereira; Forlán, Cavani e Suárez
Técnico: Oscar Tabárez

CHILE: Bravo; Contreras, Ponce, Jará e Isla; Medel, Vidal, Beausejour e Valdivia; Suazo e Alexis Sanchéz
Técnico: Claudio Borghi

Leia tudo sobre: uruguaichilecopa américa2011 futebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG