Invicto há 16 partidas, time é formado por jogadores experientes. Novidade é o retorno de Juninho Pernambucano

Pela primeira vez depois de aproximadamente uma década, o Vasco estreia no Campeonato Brasileiro em condições de fazer bonito. Desde o período em que o clube tinha o milionário patrocínio do Nations Bank , o torcedor via um time com tantos jogadores rodados. Após os títulos das Copas Mercosul e João Havelange, em 2000, o torcedor não criou mais tanta expectativa em um título nacional. Este ano, com Felipe, Fernando Prass , Dedé , Diego Souza , Alecsandro e outros, a campanha, pelo menos na teoria, pode impressionar.

Siga o iG Vasco no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Dinamite e Juninho, ídolos de gerações diferentes com história no Vasco
Site oficial
Dinamite e Juninho, ídolos de gerações diferentes com história no Vasco
A base para isso é retrospecto do time sob o comando de Ricardo Gomes. Finalista da Taça Rio – segundo turno do Campeonato Carioca – e semifinalista da Copa do Brasil , a equipe está invicta há 16 partidas. Tecnicamente, não se vê em campo nomes como Romário, Euller, Edmundo, Donizete, Mauro Galvão, Jorginho, Juninho Paulista e Júnior Baiano. Estes estiveram nos dois últimos Brasileiros: 97 e 2000. A saudade, no entanto, poderá ser matada com Felipe, hoje cérebro do time, e Juninho Pernambucano, repatriado após dez anos fora do país e jurando amor ao clube. Tanto que sugeriu, como revelou em entrevista ao iG , um contrato ganhando salário mínimo . Os dois meias serão as principais estrelas vascaínas na segunda metade de 2011.

O Vasco conquistou quatro Brasileiros. Os primeiros foram em 1974, quando o presidente Roberto Dinamite começava a se firmar como camisa 10 do clube – o maior deles, aliás -, e depois em 1989. Na oportunidade, o Vasco, numa operação ousada, foi manchete em todos os jornais ao tirar o atacante Bebeto do rival Flamengo. Esteve também na final em 1979 e 84, mas sucumbiu diante do Internacional de Falcão e do Fluminense de Romerito. Estando, assim, em seis finais desde a criação do campeonato, em 71. No Rio, é o clube com o segundo maior número de títulos nacionais, atrás apenas do Flamengo , com seis.

Mas a virada do século não traz boas recordações em São Januário. O clube montou equipes que brigam somente para não ser rebaixado. Em 2008, porém, “a casa caiu”. Era um ano de transição política. Eurico Miranda deixa o poder depois de 30 anos de regime “ditador”. Em meio a uma grave crise política, Dinamite assumiu, mas não evitou a queda. Sorte que no ano seguinte, com a gestão de diretor-executivo Rodrigo Caetano, tirado do Grêmio, a organização do meia Carlos Alberto e a liderança de Dorival Júnior, o time fez bonito na Série B, sagrando-se campeão por antecipação.

Este ano, a impressão que se tem é de um Vasco mais respeitado e com credibilidade. Ricardo Gomes tem um time titular já na cabeça do torcedor e seus homens de confiança que sempre são utilizados no decorrer das partidas. São eles Bernardo , Fellipe Bastos e Leandro – este último afastado há um mês com lesão muscular. No mais, o time é bem conhecido do torcedor, não precisa mais usar crachá, como provocavam os torcedores adversários. Na estreia contra o Ceará, neste sábado, em Fortaleza, Gomes vai comandar uma equipe reserva , já que os titulares serão poupados para o jogo de volta da Copa do Brasil, dia 25, na Ressacada, frente ao Avaí .

O time base é Fernando Prass, Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Eduardo Costa, Rômulo, Felipe e Diego Souza; Alecsandro e Eder Luis. Isso sem falar em Juninho Pernambucano, que chega dia 10 junho, mas só poderá estrear em agosto.

Nome oficial : Club de Regatas Vasco da Gama
Fundação : 21 de agosto de 1898
Localização : Rio de Janeiro - RJ, Brasil
Estádio : São Januário
Capacidade : 25.000
Presidente : Roberto Dinamite
Treinador : Ricardo Gomes
Principais títulos conquistados: 4 Brasileiros (1974, 1989, 1997 e 2000), 1 Libertadores (1998), 1 Mercosul (2000), 1 Sul-Americano de Campeões (1948), 3 Torneios Rio-São Paulo (1958, 1966 e 1999) e 22 Cariocas (1923, 1924, 1929, 1934, 1936, 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, 1956, 1958, 1970, 1977, 1982, 1987, 1988, 1992, 1993, 1994, 1998, 2003)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.