maldição do artilheiro - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Um dos três melhores do Brasileiro, Jonas foge da maldição do artilheiro

Atacante do Grêmio será anunciado pela CBF nesta segunda como finalista do prêmio de melhor jogador do Brasileiro, ao lado de Conca e Montillo. Meta agora é não cair no ostracismo como outros goleadores

Marcel Rizzo, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237881956311&_c_=MiGComponente_C

Com 20 anos, em 2004, Jonas ainda tinha dúvida se seguiria a carreira de farmacêutico ou se apostaria que o bom aproveitando de gols em jogos nas categorias de base do Guarani poderia dar um futuro milionário no futebol. Ficou com a segunda opção, mas sua carreira demorou a decolar. Guarani, Santos, Grêmio, empréstimo para a Portuguesa, Grêmio de novo em 2009 e uma quase dispensa ao final do ano. Acabou ficando e agora, além de artilheiro do Campeonato Brasileiro (23 gols), vai brigar pelo título de melhor jogador da competição.

O anúncio ocorre na noite desta segunda-feira, no Rio de Janeiro. A CBF (Confederação Brasileiro de Futebol) não anunciou, como fez nos anos anteriores, os candidatos a melhor jogador. Apenas listou os favoritos por cada posição. Mas o iG apurou que Jonas é um dos três candidatos a craque, ao lado de Conca, do Fluminense, e de Montillo, do Cruzeiro. Mesmo se perder para o argentino do Flu, o favorito, pode se gabar de ter sido um dos três melhores do Nacional.

AE
Jonas fez gol em jogos importantes do Grêmio no Campeonato Brasileiro. Este foi contra o São Paulo

A escolha é feita por votação de jogadores, treinadores e jornalistas rodadas antes do final da competição. Como concorre a craque do Brasileiro, Jonas já é o melhor segundo atacante do campeonato, batendo Thiago Ribeiro, do Cruzeiro, e Éder Luís, do Vasco, que  disputavam com ele. A CBF optou por não divulgar o trio que disputaria o prêmio craque para não revelar com antecedência que esses jogadores ganharam as disputas em suas posições.

É especial terminar um ano tão bem. Minha carreira foi atrapalhada pela lesão que tive no Santos, não voltei da mesma forma, mas na Portuguesa e no Grêmio consegui recuperar o bom futebol do Guarani, disse Jonas, que na Vila Belmiro, em 2006, teve problema em ligamento do joelho e ficou mais de seis meses sem jogar.

Espelho?
A meta de Jonas agora tem que ser manutenção. Como artilheiro do Brasileiro, e um dos três melhores jogadores, ele tem que mostrar que não foi uma exceção. Casos não faltam no futebol brasileiro de atletas que terminam como artilheiros, mas depois fracassaram.

Dimba, por exemplo. Em 2003 foi o principal goleador da Série A, primeiro ano dos pontos corridos, com 30 gols. Jogava pelo Goiás depois de passagens discretas por Botafogo e Portuguesa. A artilharia o fez  conseguir um contrato milionário com o Al-Ittihad, da Arábia Saudita. Ficou seis meses por lá e voltou para jogar no Flamengo. Foi um desastre.  Fez 14 gols em um ano, teve o contrato rescindido e depois passou por São Caetano, Brasiliense e Ceilândia ¿DF e em 2010 jogou pelo Legião, time da Terceira Divisão do DF. O nome é em homenagem à banda Legião Urbana, criada em Brasília.

Josiel é outro exemplo. Em 2007, pelo Paraná Clube, dividiu a artilharia com Washington, do Fluminense, com 20 gols. O seu caminho é parecido com o de Dimba: artilheiro da Série A, vai encher o bolso de dinheiro nos Emirados Árabes (no Al Wahda) e volta, por empréstimo para o Flamengo. Em 2008 faz apenas 13 gols no Rio e amarga boa parte do tempo no banco de reservas. Depois de passagem pelo México, disputou este Brasileiro pelo Atlético-GO, sem muita repercussão.

Sinto que ainda tenho muito a fazer. Quero um título de maior expressão, só ganhei o Gauchão aqui. Por isso, quero ampliar o contrato logo (termina no fim de 2011). Agora, não depende só de mim, disse Jonas em entrevista ao iG na semana passada.

Os artilheiros de 2009 também não tiveram um 2010 feliz. Adriano deixou o Flamengo, foi para a Roma e agora mais uma vez quer voltar ao Brasil. Já Diego Tardelli teve que ajudar o Atlético-MG a fugir do rebaixamento em uma campanha fraca. Ambos fizeram 19 gols. Que Jonas foque nos craques que já foram goleadores do Nacional, como Romário, Edmundo, Bebeto, Careca, Zico...

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofutebolgrêmio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG