Vlatko Markovic disse a jornal que iria impedir jogadores gays de atuarem pela seleção da Croácia

AP
Vlatko Markovic vai recorrer da punição da Uefa
A Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) multou o presidente da HNS (Federação de Futebol Croata), Vlatko Markovic, em 10 mil euros (cerca de R$ 23 mil) por declarações homofóbicas, informou a imprensa croata nesta quarta-feira.

Markovic declarou em novembro de 2010, em entrevista ao jornal "Vecernji list", de Zagreb, que enquanto ele ocupava o cargo de presidente da HNS, "de nenhuma maneira" um jogador que se declarasse homossexual poderia jogar na seleção croata.

"Felizmente, só pessoas saudáveis jogam futebol", disse Markovic, na ocasião. Por declarações como estas, várias associações que defendem os direitos dos homossexuais na Croácia denunciaram o dirigente.

O presidente do HNS, reeleito em dezembro de 2010 no cargo por um quarto mandato, anunciou nesta quarta-feira que recorrerá à sentença da comissão disciplinar da Uefa.

Há três anos, a Uefa multou o ex-técnico croata Otto Baric em 3 mil euros (R$ 6,9 mil) por declarações homofóbicas. O treinador disse na época que não permitiria homossexuais em sua equipe.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.