Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Troca de líder do governo deve atrasar Lei Geral da Copa

Deputados preveem que votação do projeto de lei com garantias à Fifa só deverá acontecer somente na próxima semana

Paulo Passos, iG São Paulo |

Prevista para esta quarta-feira, a votação da Lei Geral da Copa poderá sofrer novo atraso. Os deputados avaliam que a troca do líder do governo na Câmara , que ocorreu na terça-feira, deverá adiar a votação do texto com garantias à Fifa na organização da Copa do Mundo de 2014.

Os líderes dos partidos se reúnem no início desta tarde para definir a pauta do dia. Caso a Lei Geral da Copa fique fora, ele só deverá ser votada na próxima semana. Novo líder do governo, o deputado Arlindo Chinaglia(PT-SP), que assumiu no lugar de Cândido Vaccarezza, disse que o projeto de lei é prioridade, assim como a votação do novo Código Florestal. Deputados do PMDB e do próprio PT acreditam que a aprovação não acontecerá nesta quarta.

VEJA TAMBÉM: Com Rebelo e sem Valcke, Fifa encontra Dilma na sexta-feira

O possível atraso acontece justamente na semana em que a presidenta Dilma Rousseff irá receber o número 1 da Fifa, Joseph Blatter , em Brasília. O encontro na sexta-feira será para aparar arestas após uma crise entre a entidade e o Governo Federal, depois que o secretário-geral J érôme Valcke afirmou que o Brasil precisava de um “chute no traseiro” , para acelerar a organização do Mundial, inclusive a aprovação da Lei Geral da Copa.

A declaração levou o ministro do Esporte a vetar Valcke como interlocutor da Fifa com o Brasil. Após pedidos de desculpas da entidade, o Planalto já admite voltar a falar com o dirigente . Porém, ele não estará no encontro da próxima sexta-feira em Brasília.

LEIA MAIS: Deputados liberam álcool em primeira votação da Lei da Copa

A Fifa gostaria que a Lei Geral da Copa tivesse sido aprovada ainda em 2011. O último prazo dado pela entidade era a entrada em vigor da lei até o final de março, o que tampouco deverá acontecer.

Na última terça-feira, os deputados aprovaram o texto do projeto de lei após dois atrasos na comissão especial da Câmara de Deputados . O conjunto de garantias à Fifa tem pontos polêmicos como a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante o mundial, além da restrição ao direito a meia-entrada para idosos. Maiores de 60 anos, por exemplo, não poderão exercer o direito em entradas mais baratas, destinadas a estudantes e beneficiários do Bolsa-Família.

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG