Segovia foi considerado inelegível por manter contratos com o Unión Española e a Universidad SEK, da qual é proprietário

O Tribunal de Honra do Futebol Chileno anulou a eleição de Jorge Segovia para a presidência da (Anfp) Associação Nacional de Futebol Profissional) e definiu que deve ser realizada uma nova eleição. O dirigente questionou a decisão acusando os cinco membros da corte, entre os quais está o presidente da Suprema Corte do País, Milton Juicam, de agir ilegalmente.

"Se não me escutaram, não pode dizer nada o Tribunal de Honra. Por obrigação tem que ouvir as partes e não me ouviram. Agiram ilegalmente, porque não ouviram as partes", disse Segovia.

O Tribunal de Honra ratificou a decisão da diretoria da Anfp, que considerou Segovia inelegível por manter contratos com o Unión Española e a Universidad SEK, da qual é proprietário. As regras da entidade estabelecem a incompatibilidade de um dirigente caso ele tenha acordos comerciais.

A eleição de Segovia causou a saída do treinador Marcelo Bielsa da seleção chilena. O treinador argentino disse discordar do dirigente e, por isso, não poderia dar sequência ao trabalho iniciado em agosto de 2007. Uma nova eleição deve ocorrer até o dia 15 de janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.