Tamanho do texto

Time inglês tomou um susto aos cinco minutos, mas conseguiu reagir e ficar na segunda posição do Grupo A

Não foi por falta de esforço e nem de incentivo que o Shamrock Rovers foi derrotado pelo Tottenham nesta quinta-feira, por 3 a 1, pela segunda rodada da fase de grupos da Liga Europa. Os ingleses dominaram amplamente, mas tomaram um susto aos cinco minutos e só foram marcar depois disso, com Pavlyuchenko, Defoe e Giovani dos Santos.

O futebol irlandês viveu um dos maiores momentos da sua história na tarde desta quinta-feira, quando mais de quatro mil torcedores do Shamrock Rovers lotaram o setor reservado para os adeptos visitantes e fizeram tanta festa que, em determinados momentos, chegaram a cantar mais alto que os pouco mais de 20 mil dos Spurs.

Com os dois olhos no duelo diante do Arsenal no final de semana, o técnico Harry Redknapp poupou vários jogadores e optou por colocar em campo a mesma formação que empatou com o PAOK na Grécia. O Tottenham está em boa fase no Campeonato Inglês, com três vitórias seguidas e o salto para a sexta posição na tabela. O Shamrock, do outro lado do confronto, está a seis rodadas do fim do Irlandês dividindo a liderança com o Sligo Rovers.

A vitória por 3 a 1 coloca o Tottenham na segunda posição do Grupo A, com os mesmos quatro pontos do líder Rubin Kazan. O Shamrock segue na lanterna sem ter conquistado nenhum ponto.

O Jogo
Apesar da atmosfera criada, quem começou exercendo maior pressão foi o Tottenham. Logo aos seis minutos, Pavlyuchenko trocou passes com Giovani dos Santos, que se enrolou na hora da conclusão e não conseguiu abrir o placar. O mexicano ainda voltaria a perder boas oportunidades aos 11 e aos 14. Defoe acertaria a trave aos 17.

Os ingleses tiveram amplo domínio durante a primeira etapa, sempre conseguindo anular as parcas opções ofensivas do adversário, e controlando o jogo com base na qualidade do passe e na inteligência tática, mas sem eficiência na conclusão.

No entanto, os Hoops também não estavam jogando por um 0 a 0. Pouco conseguiam encostar, mas tentavam avançar com a bola nos pés. A formação 5-4-1, essencialmente defensiva, dificultava a saída de bola da equipe irlandesa, mas também não facilitava a marcação do rival.

O Tottenham teve outra oportunidade valiosa aos 20 minutos, quando Pavlyuchenko apareceu livre dentro da área para grande defesa de Richard Brush, que não teve que se mexer muito para afastar o perigo. No contra-ataque, o Shamrock conseguiu dar seu primeiro chute ao gol, quando McCabe viu a defesa inglesa desatenta e bateu com o pé esquerdo, sem sucesso.

Desesperados para abrir o placar após de tantas oportunidades perdidas, os Spurs começaram a chutar de qualquer direção. Aos 33 acertaram a trave e, dos 39 aos 44 do primeiro tempo, tiveram sete finalizações, sendo as mais perigosas com o camisa 9 russo, dos Santos e Defoe.

Os times voltaram com alterações no segundo tempo e, logo aos cinco minutos, os fanáticos Hoops viveram o que nem o mais otimista deles poderia esperar. McCabe foi derrubado pelo zagueiro Livermore dentro da área, na segunda tentativa irlandesa na partida.

Na cobrança de pênalti, para a apreensão dos quatro mil torcedores atrás do gol de Cudicini, McCabe errou e a bola sobrou para Pat Sullivan, fora da área, que também não acertou o pé. A sorte era que Stephen Rice estava ali para colocar a bola dentro das redes.

Torcedores e jogadores do Tottenham ficaram completamente atônitos com o tento dos visitantes. White Hart Lane era todo do Shamrock Rovers.

Restabelecendo a calma, os ingleses continuaram apostando no futebol do mexicano Giovani dos Santos para tentar alguma coisa dentro de campo. E, com a visível superioridade, chegaram perto de igualar duas vezes em jogada rápida aos 13 minutos.

Aos 15 minutos da segunda etapa, o russo Roman Pavlyuchenko resolveu ser o desmancha-prazeres do time de Dublin. Após cruzamento de Giovani, ele bateu na saída de Brush e deixou tudo igual. Menos de dois minutos depois, em jogada idêntica, Danny Rose foi quem cruzou para Defoe virar o placar para o Tottenham.

O susto dos irlandeses parecia não ter fim e, aos 21, Giovani dos Santos foi premiado com o terceiro dos anfitriões. Depois de muito ameaçar na primeira etapa, Defoe fez boa jogada e serviu o mexicano, que concluiu a gol e aumentou a vantagem.

Nada que o Tottenham fizesse, inclusive as incontáveis oportunidades desperdiçadas, diminuía o volume da torcida do Shamrock que foi, de fato, a grande estrela dessa partida. O futebol reserva poucos momentos especiais como a força da paixão de uma torcida e, nesse quesito, os irlandeses se superaram. Apenas nesse, pois dentro de campo os ingleses foram absolutos.