Com 5% dos ingressos para o clássico, corintianos serão minoria. Chegada ao estádio foi tranquila

Debaixo de chuva, a torcida corintiana chegou com tranquilidade ao estádio do Pacaembu para o clássico contra o rival Palmeiras, às 16h (horário de Brasília). O vencedor da partida enfrenta o Santos na final do Campeonato Paulista 2011. A carga de 5% dos ingressos, no entanto, revoltou os torcedores do Corinthians , que também reclamaram do lugar em que foram alocados no estádio: o setor lilás, no canto, onde a visão do gramado não é das melhores.

 "É uma injustiça o que fizeram com a gente, uma humilhação", afirma o corintiano Márcio Tadeu, que apesar dos 63 anos, não pensou duas vezes antes vir ao jogo mesmo com chuva. "Só é bom para a torcida do Palmeiras , que quer ver a gente no 'fosso'", completou Tadeu, revelando o apelido do setor lilás. Outro que reclamou foi Wágner Boncristiano: "Sou corintiano desde o ventre da minha mãe e nunca me sentei nesse lugar no Pacaembu. Sinto como se estivesse em um jogo no interior", disse.

Os torcedores organizados também se mostravam revoltados com a situação, mas prometiam causar impacto. "Somos só 5%, mas vamos gritar por 95%. Vamos fazer mais barulho que a torcida do Palmeiras", prometeu Denílson Marcelino. O torcedor Ronaldo Pereira concordou: "Aqui no Pacaembu somos sempre a maioria. Não temos medo de nada, aqui sempre foi e sempre será a nossa casa", afirmou.

Torcedores do Corinthians conversam com policiais na entrada do Pacaembu, antes do clássico
Francisco De Laurentiis, iG São Paulo
Torcedores do Corinthians conversam com policiais na entrada do Pacaembu, antes do clássico

Quanto à segurança, sobraram críticas à Polícia Militar: "Somos tratados como se fossemos animais. 98% dos policiais é 'casca-grossa', não abrem para o diálogo. A gente até se sente seguro, só que por nossa conta, e não pela PM. Somos 2,4 mil contra 35 mil, mas faremos a nossa parte", disse o torcedor Bruno Bandeira, que foi apoiado por Ronaldo Pereira: "A gente vem tentar se divertir com o futebol e somos insultados pelos policiais."

O destaque da torcida corintiana, porém, era a veterana Maria Alaíde, de 68 anos. "Corintiana desde que se lembra", a torcedora tem a admiração dos organizados. Sem receio de vir ao Pacaembu, ela diz que não perderia o clássico por nada: "Nesse Paulistão, fui para Mirassol, Ribeirão Preto... Agora, que é a hora da onça beber água, não vou vir?", disse, aos risos.

A entrada dos torcedores corintianos no setor lilás transcorreu sem problemas. Todavia, eles tiveram que sofrer com os gritos dos torcedores palmeirenses, que os receberam com sonoras vaias, muitos insultos e referências à Copa Libertadores, nunca conquistada pelo clube do Parque São Jorge.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.