Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Torcida do Atlético-PR não poupa treinador das vaias

Apesar da vitória por 4 a 2 sobre o Roma Apucarana, Sérgio Soares ouviu críticas da arquibancada

Altair Santos, iG Curitiba |

Apesar de ganhar por 4 a 2 do Roma Apucarana – a primeira vitória convincente do Atlético no estadual -, o técnico Sérgio Soares sentiu neste domingo que enfrenta resistência no clube. Quando o placar já estava 4 a 2, e ele decidiu substituir Madson por Branquinho, a torcida não perdoou. Passou a entoar coros, como “Ô,Ô,Ô... queremos treinador”.

Na semana passada, após a derrota por 1 a 0 para o Operário, o cargo de Soares esteve ameaçado. Tanto é que se houvesse um empate contra o Roma Apucarana sua manutenção ficaria insustentável. O técnico reconheceu que havia pressão. “É normal. Quando o time não consegue os resultados, o treinador sempre fica vulnerável. Mas agora acho que ganhamos fôlego para desenvolver o trabalho”, disse.

Sobre as vaias que recebeu, Sérgio Soares tentou minimizar. “Foi um grupo, e não o estádio todo. Acho que o protesto que veio da arquibancada foi em função dos resultados passados, e não por hoje. A equipe mostrou evolução e vamos trabalhar para ganhar aplausos e não vaias”, comentou.

Para a partida contra o Cascavel, no meio de semana, o Atlético terá uma baixa relevante. O meio-campista Paulo Baier recebeu o terceiro cartão amarelo e cumpre suspensão na próxima rodada. O jogador marcou dois gols de pênalti na partida contra o Roma Apucarana. Já o atacante Lucas, que também marcou na partida, já entrou na disputa pela artilharia do campeonato. Com 3 gols, ele está atrás de Negreiros, do Rio Branco, que tem 4.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG