Sem pré-temporada, lateral jogou Libertadores. Agora, fora por dois meses, pode pegar o Santos

Tite costuma dizer que para que um jogador recuperado de lesão volte a jogar é preciso uma sequência de treinos e, dependendo do grau da contusão, o retorno precisa ser dosado. No Corinthians , Alessandro , fora desde 29 de maio, tem condições de enfrentar o Santos , quarta-feira, na Vila Belmiro e mesmo que a longa ausência represente receio para médicos e comissão técnica, o “Guerreiro”, apelido do jogador no elenco, deve jogar 90 minutos.

Alessandro ao lado de Júlio César no treino de segunda-feira
Bruno Winckler
Alessandro ao lado de Júlio César no treino de segunda-feira

Siga a página do iG Corinthians no Twitter

A confiança demonstrada pelos funcionários do clube se ancora numa boa razão. Alessandro viveu situação pior neste ano quando por uma urgência e necessidade pontual de Tite superou uma doença e a falta de treinos para defender o Corinthians na primeira “final” do time no ano contra o Tolima, dia 26 de janeiro, no Pacaembu , pela primeira fase da Libertadores.

Entre para a torcida virtual do Corinthians e convide seus amigos para entraram também

Nas férias, antes da apresentação da equipe para a pré-temporada em Itu, em janeiro, Alessandro contraiu catapora, enfermidade que lhe tirou dos primeiros treinos do ano. Atrasado em relação ao preparo físico que seus companheiros apresentavam no início do ano, o lateral-direito iniciou os treinos já no CT do clube e não atuou nas três primeiras partidas do ano contra Portuguesa, Bragantino e Noroeste pelo Paulistão.

Naquele momento, era Moacir que atuava na lateral, mas uma lesão do jogador, três dias antes do primeiro jogo contra o time colombiano, forçou a volta de Alessandro que tivera apenas 12 dias de treinos após mais de 30 dias de inatividade para encarar o duelo.

Um dos médicos do clube, Júlio Stancati, avalia que em determinadas situações a vontade do atleta e a conversa entre jogador e técnico têm papel mais importante do que análise clínica pormenorizada. “A necessidade imposta por uma circunstância pode antecipar retorno. Treinar menos que o ideal é ruim, mas isso não é determinante. Se clinicamente está liberado, o que pesa é o físico do jogador e o Alessandro sempre mostrou-se disposto e muito bem condicionado desde que chegou no clube há mais de três anos”, disse Stancati.

Alessandro treina sem dores na coxa direita desde segunda-feira, dia 1º. Tite confirma que vai relacioná-lo para o jogo. A lesão sofrida na segunda rodada, no início do segundo tempo da vitória sobre o Coritiba, não é mais problema. “Do ponto de vista médico ele pode jogar 90 minutos sem problemas. E pelo que observamos, ele está reagindo muito bem aos treinos”, disse o médico. Lá em janeiro, contra o Tolima, Alessandro jogou os 90 minutos no jogo que terminou sem gols no Pacaembu .

Para que Alessandro entre no clássico, Tite precisará barrar Welder . Titular nos últimos 12 jogos, o garoto de 20 anos conseguiu suprir com relativa tranquilidade a ausência do titular. Porém, nos dois últimos jogos, contra América-MG e Atlético-PR, o jogador demonstrou nervosismo e acabou sendo responsável pelo pênalti que deu ao time paranaense a chance de abrir o placar no domingo. O lance é controverso, mas Welder foi advertido com cartão e Tite acabou o substituindo no intervalo da partida. Ao iG , na sexta-feira, em rápida conversa após o treino, Alessandro disse que volta contra o Santos .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.